R7

Buscar no R7

Terça-feira, 18 de outubro de 2011

publicidade

Notícias

Fonte:

publicado em 14/10/2010, às 15h20:

PP formaliza apoio a Dilma no 2º turno

Partido apresentou quatro reivindicações aceitas pela petista

Gabriel Mestieri, do R7, em Brasília

O PP (Partido Progressista) anunciou nesta quinta-feira (14) apoio formal à candidatura de Dilma Rousseff (PT) à Presidência. O partido já apoiava Dilma na primeira etapa da eleição, mas não havia oficializado a posição devido ao fato de alguns diretórios regionais rejeitarem a aliança.

O apoio foi definido durante reunião no início da tarde de hoje dos quais, além da candidata petista e do presidente do PP, Francisco Dornelles, participaram os principais líderes da legenda. De acordo com Dornelles, a aliança foi fechada após o PP apresentar a Dilma quatro reivindicações específicas com as quais a candidata se comprometeu.

O presidente do PP afirmou que o partido já concordava com boa parte do programa de Dilma, mas pediu garantias de que ela, num eventual governo, amplie o programa Supersimples, para reduzir a tributação de pequenas e médias empresas, reduza os impostos sobre investimentos, fortaleça o sistema de defesa comercial para defender a indústria brasileira de produtos importados e apresente um programa de desburocratização.

Em entrevista ao lado de Dornelles após a reunião, a candidata petista disse que considera o apoio do PP “muito importante”, destacando o fato de Márcio Fortes, que pertence à legenda, participar como ministro das Cidades do governo Lula, auxiliando em áreas importantes como saneamento, habitação e transporte. Sobre as exigências do PP, a petista afirmou concordar com tudo.

- Assumo compromisso de fazer processo de expansão do Supersimples. Isso significa oportunidade de emprego e de as pessoas terem seu próprio negócio. (...) Desoneração de investimento também é crucial. E [quanto a] desburocratização, o Brasil merece transformação do Estado, para um Estado meritocrático e profissional. Eficiência da maquina publica é a ordem do dia.

Durante a rápida entrevista, Dilma e Dornelles evitaram temas espinhosos que cercaram a aliança, como o apoio que o PP deu ao PSDB em alguns Estados no primeiro turno. Após anunciar o apoio, Dornelles foi questionado sobre o assunto, mas passou a palavra a Dilma, que também ignorou o tema.

Além de Dilma e Dornelles, participaram da reunião, pelo PP, os senadores eleitos Ciro Nogueira (PI) e Benedito de Lira (AL), o ministro das Cidades, Márcio Fortes, o governador de Goiás, Alcides Rodrigues e o deputado federal Mário Negromonte (BA). Pelo PT estavam os coordenadores da campanha de Dilma Antonio Palocci e José Eduardo Cardozo.

Debate

Dilma disse que espera que o próximo debate entre os presidenciáveis do qual vai participar possa servir para “esclarecer a população” e reafirmou que não considera que tenha sido “mais agressiva”, em debate no último domingo (17).

- Não me senti agressiva, me senti assertiva. Acho que debate de 2º turno é diferente, porque são só duas pessoas. Ele é mais ágil.

x

Envie para um amigo

publicidade

Shopping

Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009-2011 Rádio e Televisão Record S/A