Chefe de Defesa da Venezuela chama de "louca" ameaça de intervenção de Trump

Vladimir Padrino disse que é um discurso "extremista"

Maduro com o ministro Vladimir Padrino
Maduro com o ministro Vladimir Padrino BBC Brasil

CARACAS (Reuters) - A ameaça de intervenção militar na Venezuela do presidente norte-americano Donald Trump foi um "ato de loucura", disse o Ministro da Defesa do país sul-americano, Vladimir Padrino.

Esperava-se que o Ministro das Relações Exteriores da Venezuela divulgasse um comunicado no sábado respondendo aos comentários de Trump de que uma "possível opção militar" estava sob consideração para a nação em crise.

O país está profundamente mergulhado em recessão composta por escassez de alimentos e medicamentos, enquanto protestos antigoverno mataram mais de 120 pessoas desde abril.

Respondendo à Trump, Padrino disse à televisão estatal, "este é um ato de loucura. É um ato de extremismo supremo. Há uma elite extremista que governa os Estados Unidos."

"Como soldado, eu fico com as Forças Armadas da Venezuela, e com o povo. Eu tenho certeza de que estaremos todos nas linhas de frente defendendo os interesses e a soberania desta amada Venezuela", acrescentou ele.

O Ministro das Comunicações do país, Ernesto Villegas, chamou o comentário de Trump de "uma ameaça sem precedentes à soberania nacional."