Internacional

12/2/2013 às 04h49 (Atualizado em 12/2/2013 às 08h48)

Coreia do Norte confirma ter realizado seu terceiro teste nuclear

Regime de Pyongyang coloca em cheque a segurança na região e é condenado pelo resto do mundo

Do R7, com agências internacionais

Seul: ativistas protestam pedindo o fim do regime de Kim Jong-un na Coreia do Norte; país comunista confirma teste nuclear bem sucedido Reuters

A Coreia do Norte informou no início desta terça-feira (12) ter realizado "com sucesso" o seu terceiro teste nuclear, informa a agência estatal "KCNA". Os primeiros testes do país asiático aconteceram em 2006 e 2009.

Pouco tempo antes do anúncio, o governo sul-coreano detectou um terremoto de pouco mais de 5 graus na escala Ritcher no condado de Kilju, que abriga a base de Punggye-ri, na qual teria ocorrido a detonação.

A Coreia do Norte destacou que o teste nuclear de hoje teve "maior nível" que os anteriores, em 2006 e 2009, e informou que conseguiu reduzir o tamanho e o peso da bomba, em uma mostra que o país avançou em seu objetivo de dotar seus mísseis balísticos de capacidade atômica.

Leia mais notícias e fique ligado no que acontece em todo o mundo

O regime de Kim Jong-un qualificou sua ação como uma "medida prática" para fazer frente às "hostilidades" dos Estados Unidos, país que há alguns dias o líder norte-coreano chamou de "inimigo jurado".

A agência estatal do regime confirmou que os resultados das medições do teste nuclear cumprem com as previsões e que "não teve impacto algum sobre o meio ambiente da região".

Em janeiro, a Coreia do Norte ameaçara realizar um teste nuclear como resposta à resolução tomada pelo Conselho de Segurança da ONU, que ampliou as sanções ao país comunista como castigo pelo recente lançamento de um foguete de longo alcance.

A Coreia do Sul, atual presidente do Conselho de Segurança da ONU, convocou uma reunião de urgência após o teste nuclear norte-coreano. De acordo com a emissora "CNN", o encontro acontecerá na sede do organismo, em Nova York, às 9h locais (12h de Brasília).

Governos de todo o mundo se manifestam

O teste nuclear aumenta as tensões entre o país comunista e o resto do mundo. A Coreia do Sul classificou o teste da vizinha como "ameça inaceitável". Ainda na região, o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, condenou o "lamentável" teste nuclear da Coreia do Norte e considerou o ato um "um desafio grave" e anunciou que estuda aprovar sanções adicionais às da ONU.

No ocidente, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, classificou como uma "ação altamente provocativa" que atenta contra a segurança na região. Em comunicado, Obama condenou o terceiro teste nuclear do governo de Pyongyang. Com a ação, a "Coreia do Norte viola as obrigações que várias resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas lhe impõem, transgride os acordos regionais a respeito e aumenta o perigo de proliferação de armas nucleares", afirma Obama.

O ministro das Relações Exteriores britânico, William Hague, fez coro aos outros países e condenou nesta terça-feira (12), nos termos "mais enérgicos", o teste nuclear produzido pela Coreia do Norte, que violou três resoluções da ONU.

  • Espalhe por aí:

Veja também

Todas as notícias
X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!