Small-house Faça do R7.com sua página inicial

SIM NÃO

Internacional

23/5/2013 às 00h30

Desde 2001, pelo menos 540 pessoas morreram por armas não letais nos EUA, diz relatório

A Anistia Internacional divulgou dados sobre o uso excessivo da força com pistolas de eletrochoque

Do R7

Arma de choque modelo X26, de fabricação da Taser, que foi criticada pelo relatório da Anistia Internacional AP Photo/Mary Godleski

O relatório intitulado O estado dos direitos humanos no mundo da Anistia Internacional divulgado nesta quarta-feira (22) coloca em dúvida a eficácia da utilização das de eletrochoque, consideradas não-letais. De acordo com o documento, nos últimos 12 meses pelo menos 42 pessoas morreram em 20 Estados dos EUA depois de terem sido atingidas por armamentos de eletrochoque.

Desde 2001, o documento da Anistia internacional contabilizou 540 mortes em consequência dos disparos de pistolas de eletrochoque. Na maioria dos casos que acarretaram em óbitos as vítimas não estavam armadas e não ofereceram concretas ameaças quando o aparato, considerado não-letal, foi utilizado.

Anistia Internacional volta a criticar Obama por prisão de Guantánamo

Entenda como funciona a arma de choque que matou brasileiro em 2012

A Anistia ressaltou que a Associação Americana de Cardiologia divulgou neste ano um relatório com evidências científicas de que as armas de eletrochoque podem provocar parada cardiorrespiratória e morte. O estudo da Associação foi feito com base nos dados médicos e policiais sobre as vítimas atingidas pelo modelo Taser X26.

Em 2012, a morte do brasileiro Roberto Curtis, de 21 anos, foi uma fatalidade causada pelo uso indiscriminado de armas de eletrochoque. O estudante estava na Austrália quando sofre 14 choques seguidos e morreu em consequência da ação policial.

Brasileiro morto na Austrália sofreu ação selvagem da polícia, diz investigadora

Policial diz que uso de taser contra brasileiro morto na Austrália foi desnecessário

As investigações feitas pelo Departamento de Homicídios da polícia australiana concluiu que os agentes agiram de forma "selvagem" ao interpelar o jovem brasileiro. A partir do incidente envolvendo Curtis, as autoridades australianas colocaram em dúvida o uso do armamento. A população também se envolveu no debate e pediu que as forças do país parassem de utilizar o Taser ou armamentos similares considerados não-letais. 

O que acontece no mundo passa por aqui

Moda, esportes, política, TV: as notícias mais quentes do dia

  • Espalhe por aí:

Veja também

Todas as notícias
Publicidade
Compartilhe
Verde-amarelo contagiante

Bandeiras e camisetas do Brasil se espalham pelo mundo

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Fé proibida

Conheça os países com maiores índices de perseguição religiosa

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Imagens do ano

Entre sorrisos e lágrimas: veja as imagens mais emocionantes de 2013

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Perturbador

Crimes brutais chocaram o mundo em 2013. Veja os casos mais macabros

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
  • Últimas de Internacional

  • Últimas de Notícias

X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!