Internacional

14/2/2013 às 17h12

Em aniversário da Guerra do Pacífico, Morales condena "invasão" chilena

EFE

La Paz, 14 fev (EFE).- O presidente da Bolívia, Evo Morales, repudiou nesta quinta-feira a "invasão" de tropas chilenas em 1879 e declarou "heróis do mar" os três soldados presos no Chile desde o final de janeiro, em um ato para lembrar os 134 anos do início da guerra na qual seu país perdeu o acesso ao oceano Pacífico. Morales afirmou que há 134 anos aconteceu "uma invasão injusta, com muita soberba e prepotência" ao então território boliviano, uma ação que deixou "feridas". "Os bolivianos e as bolivianas lembramos e sempre lembraremos dessa invasão do ano 1879 porque a Bolívia nasce com saída ao mar, com saída para Pacífico", disse Morales diante de outras autoridades, chefes militares e estudantes que assistiram ao ato realizado em La Paz, na praça Murillo, sede do governo e do Parlamento. O evento foi organizado pelas Forças Armadas para lembrar que em 14 de fevereiro de 1879 tropas chilenas ocuparam o então porto boliviano de Antofagasta, o que desencadeou a Guerra do Pacífico. Na disputa, a Bolívia perdeu 400 quilômetros de costa e 120.000 quilômetros quadrados de território. Em 1904, um tratado assinado entre ambos os países fixou a soberania chilena desta região. Morales afirmou que as "feridas de uma invasão" não se esquecerão e ficarão "para sempre" se não for resolvida o pedido boliviano de recuperar uma saída soberana ao Pacífico, que segundo o líder "não é uma reivindicação nem uma aspiração", mas um "direito". Morales também criticou o governo do Chile pelo caso dos três soldados bolivianos presos no país vizinho desde o final de janeiro. "Nossos três soldados agora são grandes defensores do mar. Como reivindicamos o tema do mar, (Chile) quer se vingar com três soldados e nossos soldados são grandes heróis do mar e nunca vamos abandoná-los", discursou Morales. Os três soldados foram detidos em 25 de janeiro em Colchane, na região de Tarapacá, a 1.987 quilômetros ao norte de Santiago, carregando um fuzil. Os militares bolivianos estão reclusos em uma prisão em Alto Hospicio, a 1.800 quilômetros ao norte de Santiago, e a justiça chilena rejeitou um recurso para libertá-los. O governante boliviano argumentou hoje em que os soldados foram detidos cumprindo uma missão contra o contrabando de veículos e perguntou se o governo do Chile está usando o assunto "com fins políticos". EFE gb/dk (foto)
  • Espalhe por aí:

Veja também

Todas as notícias
Publicidade
Compartilhe
Verde-amarelo contagiante

Bandeiras e camisetas do Brasil se espalham pelo mundo

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Fé proibida

Conheça os países com maiores índices de perseguição religiosa

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Imagens do ano

Entre sorrisos e lágrimas: veja as imagens mais emocionantes de 2013

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Perturbador

Crimes brutais chocaram o mundo em 2013. Veja os casos mais macabros

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
  • Últimas de Internacional

  • Últimas de Notícias

X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!