Internacional

19/3/2014 às 20h12 (Atualizado em 19/3/2014 às 22h45)

Entenda por que celulares do voo MH-370 também viraram um mistério

Especialistas dizem ser pouco provável que os aparelhos ajudassem a localizar o avião

BBC Brasil

Avião da Malaysia Airlines REUTERS/Samsul Said

Um dos enigmas que rondam o desaparecimento do voo MH-370 envolve os celulares dos 239 passageiros a bordo: o porquê de nenhum deles ter sido usado em tentativas de contato com os familiares e, além disso, os relatos de que alguns aparelhos teriam continuado a tocar vários dias após o sumiço do avião.

Quando sequestradores tomaram controle de quatro aviões nos atentados de 11 de setembro de 2001, os passageiros e tripulantes do voo United 93 conseguiram telefonar para amigos e parentes em terra.

Mas quando o voo MH-370 da Malaysia Airlines desapareceu durante o trajeto entre Kuala Lumpur e Pequim, em 8 de março, mudando de rota e sumindo dos radares, não houve ligações telefônicas, mensagens ou qualquer outro tipo de contato saído da aeronave.

A maioria das pessoas a bordo eram malaias e chinesas, dois países onde o uso de celulares é onipresente, especialmente entre pessoas acostumadas a fazer viagens internacionais.

Mas especialistas dizem que são muito pequenas as probabilidades de que os celulares funcionassem ou ajudassem a localizar o avião.

Com isso em mente, veja algumas explicações para esse silêncio:

Os celulares conseguem captar sinal dentro do avião?

Os aviões sequestrados em 11 de Setembro voavam em baixas altitudes em direção a alvos urbanos. Por isso, os passageiros conseguiram fazer ligações e mandar mensagens.

Mas geralmente os celulares não captam sinal durante um voo. Em primeiro lugar, a maioria das companhias aéreas exigem que os passageiros desliguem o aparelho, que ficam sem conexão com uma rede celular.

Mesmo que alguns mantenham seus aparelhos ligados, é muito difícil que eles consigam se conectar a uma rede, dada a velocidade e altitude do avião em um voo internacional.

Lam Wong-Hing, especialista em comunicação da Universidade de Hong Kong, disse ao New York Times que, mesmo que um celular conseguisse captar sinal durante o voo, não seria capaz de transmitir um sinal suficientemente forte para estabelecer uma conexão.

O que ocorre durante o voo sobre o oceano?

O voo sobre o mar reduz ainda mais as probabilidades de se estabelecer uma conexão, já que não há antenas de celulares próximas.

Ainda que os investigadores possam ter identificado os últimos contatos estabelecidos entre os celulares e a última torre sobrevoada pelo avião antes de este chegar ao oceano, se o avião estivesse a mais de 10 mil pés é muito provável que os celulares não tenham conseguido contato com essa antena.

Dá para localizar os celulares dos passageiros?

Isso não é tão simples quanto ativar a função 'encontre meu iPhone', novamente por causa da altitude, da localização e da velocidade do avião.

Muita gente pensa que os smartphones são dispositivos infalíveis de rastreamento, por serem usados pela polícia ou por unidades de resgate para localizar seus usuários. Ainda assim, há grandes áreas do planeta que não têm torres de transmissão para a comunicação móvel.

As operadoras de telefonia podem localizar os celulares?

Sim, quando estes estiverem ligados e conectados a uma rede de celular ou wi-fi, explicou à agência Associated Press Ritch Blasi, da consultoria Comunicano.

Aplicativos como o 'encontre meu iPhone' só funcionam quando o telefone consegue receber um sinal de localização de satélite por GPS e transmitir esse sinal via conexão de celular ou wi-fi.

E quanto aos telefones instalados no avião?

Muitas aeronaves têm telefones aéreos, que usam ondas de rádio ou tecnologia de satélite, e esses equipamentos estavam na classe executiva do voo da Malaysia Airlines.

Mas esses telefones aéreos geralmente estão integrados ao sistema de entretenimento de bordo.

Se alguém deliberadamente desviou o avião e desligou seu transponder e outras formas de comunicação, é provável que tenha desativado o sistema de entretenimento de bordo, para que os passageiros não pudessem ver nos televisores o mapa de sua localização mostrando que eles estavam voando na direção errada.

E se o avião conseguiu aterrissar e houver sobreviventes com celulares?

Se essa pessoa conseguisse sinal, em teoria poderia fazer uma ligação - mas não se o avião estiver em uma zona remota e sem serviços de transmissão.

Também poderia haver dificuldades em conectar o aparelho à rede local.

Por que os celulares de alguns passageiros tocaram quando familiares ligaram para eles?

A imprensa chinesa citou casos assim - dando a impressão de que o celular do passageiro tivesse sinal e estivesse ligado, mesmo dias depois do desaparecimento.

Mas isso não significa necessariamente que os celulares em questão estivessem conectados a uma rede. Pode significar apenas que o sistema da empresa de telefonia estava procurando o telefone e tentando completar a ligação.

  • Espalhe por aí:

Veja também

Todas as notícias
X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!