Espanha vê número de refugiados quadruplicar em 2017

País poderia superar a Grécia, um dos países que mais recebem migrantes

Rota migratória do Mar Mediterrâneo é considerada a mais mortal do mundo
Rota migratória do Mar Mediterrâneo é considerada a mais mortal do mundo REUTERS

O número de imigrantes que chegaram à Espanha por via marítima quadruplicou no primeiro semestre de 2017, atingindo a cifra de 8.183 pessoas. De acordo com um relatório da OIM (Organização Internacional para as Migrações), ligada às Nações Unidas, divulgado nesta sexta-feira (11), a situação da Espanha poderia superar a da Grécia, um dos países que mais recebem imigrantes.

Somente entre janeiro e agosto deste ano, 11.713 pessoas chegaram às ilhas gregas fugindo de guerras e conflitos. Os dados apontam uma nova tendência de rota migratória, com a Espanha se tornando uma das principais opções de via de entrada para a Europa. No primeiro semestre do ano passado, 2.476 refugiados chegaram ao país, contra os 8.183 deste ano.

Mesmo em crise, brasileiros dão lição de solidariedade e aumentam ajuda a vítimas de catástrofes humanitárias

Temperaturas negativas, superlotação e saúde precária: em livro, brasileiro relata drama em campo de refugiados na Grécia

Já na Grécia, o movimento é contrário. Nos primeiros meses de 2016, foram 160 mil imigrantes que desembarcaram nas praias gregas, contra os 11.713 deste ano.

A Itália é a líder do ranking, com 96.438 chegadas somente neste ano e 2.242 mortes em travessias. A rota migratória do Mar Mediterrâneo é considerada a mais mortal do mundo, com um salado de 14.500 vítimas desde 2014.

Somente de janeiro até hoje, foram contabilizadas 2.405 mortes na região, com uma média de 1 a cada 36 imigrantes morrendo durante o trajeto.