Furacão Irma deixa ao menos 40 mortos e mantém regiões em alerta

No Estado da Florida, 5,7 milhões de pessoas ficaram sem energia

 Irma chegou ao litoral com ventos contínuos de mais de 209 quilômetros por hora
Irma chegou ao litoral com ventos contínuos de mais de 209 quilômetros por hora Carlos Barria/10.09.2017/Reuters

A passagem do furacão Irma pelo Estados Unidos, Caribe e Cuba deixou ao menos 40 mortos, segundo autoridades. Só no Estado da Florida, 5,7 milhões de pessoas ficaram sem energia. Os prejuízos com a destruição são estimados em cerca de 50 bilhões de dólares.

Governos europeus, inclusive da França e do Reino Unido, que controlam muitos territórios atingidos no Caribe, lançaram um plano de emergência para ajudar as populações locais e iniciar a reconstrução das regiões devastadas.

Durante a segunda-feira (11), o Irma, avaliado como um dos mais potentes já registrados no Atlântico, foi rebaixado para tempestade tropical e chegou ao Estado da Georgia. Mais de 100 mil pessoas ficaram sem luz. 

O governo da Georgia, da Carolina do Sul e do Alabama mantiveram o estado de alerta, determinando que a população não saísse de casa devido à intensidade dos ventos e das chuvas.

Entre as mortes, 27 foram nas ilhas do Caribe (Barbuda, St. Martin e as Ilhas Virgens Britânicas), 10 em Cuba e uma na Florida. O Irma também desalojou 24.116 pessoas na República Dominicana.

Uma semana antes, o furacão Harvey inundou uma vasta porção de Houston, no Texas. A temporada oficial de furacões no Atlântico ainda dura quase três meses.

Confira a cobertura completa sobre o furacão Irma

Itamaraty resgatará brasileiros no Caribe após furacão Irma