Israel aprova a construção de 1.200 casas em Jerusalém

Projeto prevê a construção imediata de 930 apartamentos na região de Gilo

Judeu ultraortodoxo observa assentamento israelense em Jerusalém
Judeu ultraortodoxo observa assentamento israelense em Jerusalém REUTERS/Ronen Zvulun

O governo de Israel aprovou na noite desta segunda-feira (24) a criação de mais 1.200 casas em Jerusalém. O plano, aprovado pelo comitê de construções da cidade, prevê a construção de 930 apartamentos imediatamente, com a possibilidade de levantar outras 300 unidades em um futuro próximo.

Todas as habitações serão erguidas na região de Gilo, sudeste da cidade santa. A aprovação faz parte de um plano de construção de 5.500 casas além da "linha verde", região limítrofe entre Israel e a Palestina. Por esse motivo a criação de mais unidades habitacionais é considerada por especialistas como um retrocesso no processo de paz entre os dois países.

A construção de mais apartamentos também é criticada pelos próprios israelenses que vivem no local. Para eles as novas casas irão destruir a flora nativa da região e irá piorar o tráfego do bairro.