R7 - Notícias

Buscar no site
Eu quero um e-mail @R7
Esqueci minha senha

27 de Maio de 2016

Você está aqui: Página Inicial/Notícias/Internacional/Notícias

Icone de Internacional Internacional

publicado em 28/02/2010 às 16h57:

"Hotel parecia se mexer de um lado
para o outro", conta brasileiro

Álvaro Saraiva estava em Pucón, destino turístico chileno, e relata o que viu

Do R7

Estou com minha irmã no Chile neste momento, mais precisamente em Pucón, que fica a 399 km de Concepción, a cidade mais atingida pelo terremoto, e a 789 km ao sul da capital chilena, Santiago. Pucón é uma das principais cidades turísticas do Chile, muito conhecida pelos seus atrativos radicais, como rafting, arvorismo, rapel e principalmente pela escalada do vulcão ativo Villarrica. Mas tudo isso ficou muito pequeno e insignificante depois da desesperadora madrugada em que o enorme terremoto afetou o Chile.
 
Vou tentar passar um pouco de como está a situação na cidade depois do ocorrido. Mas vale deixar claro que ler um texto como esse não é nada perto do que é sentir na pele um terremoto.
 

Na manhã da sexta-feira (26), fomos escalar o tão temido vulcão Villarrica e, como a subida levou mais de 5 horas, estávamos muito cansados e dormimos cedo. Mal sabíamos que essa madrugada nos proporcionaria uma experiência única em nossas vidas. Isso tudo que vou escrever agora eu vi.
 
Às 3h30 da manhã tudo aconteceu. Um forte tremor abalou nosso quarto no hotel e acordei, já que quase fui arremessado para fora da cama. No primeiro momento não fazíamos idéia do que estava acontecendo, mas a sensação de que era um terremoto logo veio à cabeça. Nesse momento, o hotel parecia se mexer de um lado para o outro. As janelas e os armários abriam e fechavam com uma força absurda e eu já começava a ouvir gritos e choros no corredor. Não sabia se ficava deitado ou de pé, se me escondia embaixo de alguma coisa ou se saía correndo. Minha irmã, com muito esforço, foi até a porta do quarto para ver o que as outras pessoas estavam fazendo e quase caiu no chão umas quatro vezes. Eu levantei da cama e fui segurar a televisão, que estava caindo do móvel, mas sem sucesso, pois era jogado para o outro lado do quarto quando tentava me aproximar da TV. No corredor do hotel, um casal americano chorava incessantemente e muitas pessoas corriam pelas escadas com mochilas nas costas. Foi a pior sensação da minha vida!
 
Passado o susto, e ainda assustados, fomos para fora do hotel, onde muitas famílias já colocavam as crianças dentro dos carros para irem embora sabe-se lá para onde. Foi aí, então, que começaram as réplicas (tremores menores). Cada vez que o chão voltava a tremer era mais um momento de apreensão. Alguns diziam que a réplica poderia ser mais forte, outros falavam que as réplicas continuariam por toda a madrugada. Ah, e um pequeno detalhe: estamos hospedados na base do segundo vulcão mais ativo do Chile. Era impossível manter a calma.
 
Após duas horas e meia na rua, decidimos voltar para o quarto do hotel para tentar dormir. Mas a cada momento que fechávamos os olhos parecia que tudo aconteceria novamente. Então ligamos a TV e as primeiras notícias começaram a surgir. Conversando com alguns chilenos um pouco mais tarde, eles me disseram que é normal sentir alguns terremotos pelo país, mas que ele nunca haviam presenciado tremores dessa intensidade.
 
Agora todos os passeios turísticos foram cancelados, o aeroporto da cidade vizinha, Temuco, está fechado, e a cada esquina só se vê pessoas com televisões e rádios ligados, aguardando novas informações. Tínhamos um vôo marcado para amanhã (1º de março) com destino a Santiago, onde passaríamos mais dois dias, mas já não sei de mais nada. Só quero voltar para o Brasil e ver minha família e amigos.
 
Pucón, a cidade das aventuras no Chile, perdeu o encanto depois do que aconteceu.

Álvaro Saraiva,de Pucón, Chile.

 
Veja Relacionados:  chile, terremoto, pucon, concepcion, santiago, tremor
chile  terremoto  pucon  concepcion  santiago  tremor 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 

Fechar
Comunicar Erro

Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!

 

 


Shopping