Internacional

21/12/2012 às 20h25 (Atualizado em 22/12/2012 às 03h51)

Obama nomeia John Kerry como próximo secretário de Estado

Senador irá substituir Hillary à frente do Departamento de Estado

Reuters

Por Matt Spetalnick e Tabassum Zakaria

WASHINGTON, 21 Dez (Reuters) - O presidente dos EUA, Barack Obama, nomeou na sexta-feira o senador John Kerry para substituir Hillary Clinton à frente do Departamento de Estado, dando início à reformulação da sua equipe de segurança nacional para o segundo mandato.

Obama decidiu-se por Kerry, presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado e candidato derrotado a presidente em 2004, depois que a embaixadora dos EUA na ONU, Susan Rice, que era a favorita, retirou seu nome de consideração, na semana passada.

Mas Obama evitou nomear imediatamente um novo secretário de Defesa, diante da crescente resistência aos rumores de que o indicado seria o ex-senador republicano Chuck Hagel.

Tendo Kerry ao seu lado, Obama manifestou confiança em uma rápida aprovação do seu nome pelo Congresso.

"Ao virarmos a página de uma década de guerra, ele entende que precisamos reunir todos os elementos do poder americano e garantir que eles estão funcionando juntos", disse Obama. "John já conquistou o respeito e a confiança dos líderes do mundo todo. Ele não vai precisar de muito treinamento na tarefa."

A Casa Branca inicialmente pretendia fazer todas as nomeações de segurança nacional, incluindo o novo diretor da CIA, antes do Natal. A intenção foi atrapalhada pela resistência ao nome de Hagel e por outras questões que ocuparam a atenção de Obama - como o impasse a respeito do "abismo fiscal" e o massacre numa escola de Connecticut na semana passada.

Kerry, de 69 anos, há anos cobiçava o cargo de secretário de Estado. Hillary Clinton, a atual ocupante, é consistentemente apontada como a mais popular integrante do gabinete de Obama.

Rice, que era inicialmente a favorita, foi deixada de lado por causa do seu criticado comportamento nos dias que se seguiram ao atentado de 11 de setembro contra o consulado dos EUA em Benghazi, na Líbia. Ela disse que abria mão da indicação para poupar o governo de um longo e desgastante processo de aprovação no Senado.

Uma das primeiras tarefas de Kerry como secretário será implementar recomendações de uma comissão oficial sobre como melhorar a segurança em instalações diplomáticas dos EUA no exterior, à luz do ataque ocorrido em Benghazi.

Obama declarou que Kerry foi "a escolha perfeita" para o cargo, mas parecia desanimado ao anunciá-lo. Os dois acabavam de voltar da cerimônia fúnebre do senador Daniel Inouye, na Catedral Nacional.

Kerry, conhecido por discursos eventualmente longos demais, não teve a chance de falar a jornalistas na Casa Branca. Hillary estava ausente do anúncio por razão de saúde, mas divulgou nota dizendo que Kerry vai oferecer "uma liderança do mais alto calibre" no Departamento de Estado.

  • Espalhe por aí:

Veja também

Todas as notícias
X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!