Small-house Faça do R7.com sua página inicial

SIM NÃO

Internacional

21/8/2013 às 11h28 (Atualizado em 21/8/2013 às 12h21)

Soldado americano é condenado a 35 anos de prisão por vazamentos ao Wikileaks

Bradley Manning foi absolvido da acusação mais séria: ajuda ao inimigo

EFE

, com R7

Manning poderia ser condenado a um máximo de 90 anos REUTERS/Jose Luis Magana

O soldado americano Bradley Manning foi sentenciado, nesta quarta-feira (21), em uma corte militar a 35 anos de prisão e foi expulso do Exército com desonra em função do vazamento de mais 700 mil documentos secretos para o Wikileaks.

Manning poderia ser condenado a um máximo de 90 anos após ser considerado culpado no final de julho de vários crimes de espionagem, roubo de informação governamental e abuso de sua posição de analista no Iraque, embora tenha sido absolvido da acusação mais séria, de ajuda ao inimigo. 

Na segunda-feira (19), o promotor, capitão Joe Morrow, fez um apelo à juíza militar, coronel Denise Lind, para que aplicasse uma pena severa, "de forma a dar um recado a qualquer soldado que esteja pensando em divulgar informações secretas".

Promotoria diz que Manning sabia que Al Qaeda usava o Wikileaks

Morrow rejeitou os argumentos da defesa, que alegou que Manning foi ingênuo, mas bem-intencionado, ao expor os abusos de conduta dos Estados Unidos nas guerras do Iraque e do Afeganistão.  

Ao contrário, o promotor disse que os vazamentos são "destrutivos" e afirmou que Manning é um "espião determinado que explorou um sistema imperfeito".  

"Devemos nos assegurar de que nunca mais assistiremos este circo", destacou o promotor, convencido de que a "traição" do soldado havia danificado as relações diplomáticas dos Estados Unidos.  

O advogado de Manning, David Coombs, criticou o governo por considerar que "quer que apodreça na prisão" e que "só se interessa pelo castigo" e não pela reinserção de um acusado "jovem", "humanista", "muito inteligente", "ingênuo, certamente, mas bem-intencionado".  

Considerando sua juventude, sua "saúde emocional" e "a pureza de suas intenções", o advogado pediu à juíza que castigue seu cliente, mas com uma pena que dê a ele a "possibilidade de viver [...], talvez de encontrar o amor, de se casar, de ter filhos e de vê-los crescer".  

Enquanto o advogado de defesa se esforçou para convencer que "o impacto a longo prazo" da fuga era limitado e que "diversos países já a tinham esquecido", o promotor militar insistiu no aspecto "destrutivo" do comportamento de Manning, que havia escolhido "conscientemente" ser analista de inteligência no Iraque e "abusado de sua posição de confiança".

  • Espalhe por aí:

Veja também

Todas as notícias
Publicidade
Compartilhe
Verde-amarelo contagiante

Bandeiras e camisetas do Brasil se espalham pelo mundo

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Fé proibida

Conheça os países com maiores índices de perseguição religiosa

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Imagens do ano

Entre sorrisos e lágrimas: veja as imagens mais emocionantes de 2013

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Perturbador

Crimes brutais chocaram o mundo em 2013. Veja os casos mais macabros

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
  • Últimas de Internacional

  • Últimas de Notícias

X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!