Small-house Faça do R7.com sua página inicial

SIM NÃO

Internacional

5/12/2012 às 12h41 (Atualizado em 5/12/2012 às 12h41)

Sul-africano é condenado por matar mulher em sua lua de mel

Xolile Mngeni, 25 anos, foi sentenciado à prisão perpétua

BBC Brasil

Sul-africano Xolile Mngeni, de 25 anos, foi condenado em seu país pela morte da sueca Anni Dewani AP Photo/Schalk van Zuydam

O sul-africano Xolile Mngeni, de 25 anos, foi condenado em seu país pela morte da sueca Anni Dewani, em crime que, segundo a Justiça e os réus, foi cometido a pedido do marido dela durante a lua de mel do casal, na Cidade do Cabo, dois anos atrás.

Mngeni, sentenciado à prisão perpétua, é a terceira pessoas a ser condenada pelo crime desde 2010. Seus outros dois cúmplices confirmaram ter ajudado a matar a mulher a mando do marido, Shrien Dewani, que vive na cidade de Bristol, na Grã-Bretanha.

Shrien Dewani nega ter sido o mandante do crime e a Justiça britânica rejeitou o pedido de extradição da África do Sul, alegando problemas mentais. Uma nova audiência do caso será realizada no ano que vem.

Mulher atacada com ácido é forçada a se casar novamente com agressor

Fúria covarde: mulheres são alvo de violência no mundo inteiro

Shrien tem nacionalidade britânica e Anni — que à época de sua morte tinha 28 anos — era sueca, mas ambos têm origens indianas.

Cidade do Cabo

O corpo da mulher foi encontrado com apenas um tiro próximo ao pescoço após ela e o marido terem sido sequestrados ao passarem de táxi por dentro da favela de Gugulethu, na Cidade do Cabo. Shrien Dewani foi libertado sem ferimentos.

O julgamento de Mngeni foi adiado diversas vezes devido a uma cirurgia para a retirada de um tumor cerebral, mas recentemente um juiz determinou que ele estava apto a enfrentar o processo. Ele foi condenado como autor do disparo que matou Anni.

O motorista de táxi Zola Tongo foi sentenciado a 18 anos de prisão por ter confessado a organização do crime, e Mziwamadoda Qwabe foi condenado a 25 anos de prisão após admitir ter atirado contra Anni Dewani.

Tongo disse ter recebido US$ 2,1 mil de Shrien Dewani para fazer com que o assassinato de sua mulher parecesse um sequestro e confessou ter contratado Mngeni e Qwabe para colocar o plano em prática.

  • Espalhe por aí:

Veja também

Todas as notícias
Publicidade
Compartilhe
Verde-amarelo contagiante

Bandeiras e camisetas do Brasil se espalham pelo mundo

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Fé proibida

Conheça os países com maiores índices de perseguição religiosa

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Imagens do ano

Entre sorrisos e lágrimas: veja as imagens mais emocionantes de 2013

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Perturbador

Crimes brutais chocaram o mundo em 2013. Veja os casos mais macabros

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
  • Últimas de Internacional

  • Últimas de Notícias

X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!