Trump se pronuncia no Twitter e condena 'ódio' em manifestações envolvendo neonazistas

Governo de Virginia declarou estado de emergência neste sábado

Grupos de extrema-direita gritaram palavras de ordem contra negros, imigrantes, homossexuais e judeus
Grupos de extrema-direita gritaram palavras de ordem contra negros, imigrantes, homossexuais e judeus Reuters

O presidente norte-americano Donald Trump condenou neste sábado (12) as manifestações de violência ocorridas na cidade de Charlottesville, no estado de Virginia. No Twitter, o líder afirmou que os americanos devem estar "unidos" e "condenar tudo o que envolver o ódio".

A primeira-dama Melania Trump também se pronunciou pela rede social.

— Nosso país encoraja a liberdade de expressão, mas precisamos nos comunicar sem ódio em nossos corações. Nada bom vem da violência.

Manifestantes se enfrentam em cidade da Virgínia antes de evento nacionalista. Assista ao vídeo

"Sou nazista, sim": O protesto da extrema-direita dos EUA contra negros, imigrantes, gays e judeus

O governo de Virginia declarou estado de emergência neste sábado depois que Charlottesville foi palco de conflitos envolvendo grupos neonazistas de extrema-direita.

Na noite de sexta-feira, centenas de homens e mulheres carregando tochas fizeram uma vigília no município gritando palavras de ordem contra negros, imigrantes, homossexuais e judeus. Eles se preparavam para participar, no fim de semana, do evento "Unir a Direita". A reunião foi declarada "uma assembleia ilegal" pelas autoridades.

Antes do meio-dia deste sábado, os nacionalistas brancos confrontaram manifestantes opositores. Muitos dos combatentes de ambos os lados usavam capacetes e seguravam escudos. Os membros da milícia na cidade carregavam rifles, embora nenhum tiroteio tenha sido denunciado.