Minas Gerais

25 de Outubro de 2014

Você está em:

Notícias

Notícias

Casal acusado de matar primo do goleiro Bruno vai a júri popular em MG

Data da primeira audiência ainda não foi definida pela Justiça

Ramon Guerra, do R7 MG | 25/01/2013 às 18h28
Publicidade

Os dois acusados de matar o primo do goleiro Bruno Fernandes, Sérgio Rosa Sales, no dia 22 de agosto de 2012 serão julgados por um júri popular. A decisão, tomada pelo juiz sumariante do 1º Tribunal do Júri de Belo Horizonte, Guilherme Queiroz Lacerda, foi divulgada nesta sexta-feira (25), pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). A data ainda não foi marcada.

Conforme o TJMG, Alexandre Ângelo de Oliveira, que confessou o crime durante um depoimento realizado no Fórum Lafayette, na capital mineira, foi denunciado por homicídio qualificado, já que o motivo do crime foi "torpe" e a defesa da vítima foi dificultada. A namorada dele, Denilza Cesário da Silva, que teria sido assediada por Sales, também foi denunciada pelos mesmos motivos e por ter contribuído para a execução do crime.

O casal foi denunciado pelo Ministério Público, que alegou que o crime teria sido motivado por "vingança em virtude do assédio sofrido pela mulher do acusado". Ainda de acordo com o TJMG, Denilza e Oliveira  tiveram um pedido para responder ao julgamento em liberdade negado pelo juiz e continuam presos.

Leia mais notícias no R7 MG

Primo do goleiro Bruno recebeu mensagem de celular com ameaças de morte

Morte de primo de Bruno levanta suspeita sobre existência de lista de ameaçados

O crime

Sales tinha 25 anos e foi morto a tiros no bairro Minaslândia, região norte de BH, no dia 22 de agosto de 2012. Ele estava a três quarteirões de casa, a caminho do trabalho, quando foi abordado pelos suspeitos que estavam em uma moto. O primo do goleiro Bruno ainda tentou fugir, mas foi atingido por seis tiros. Sales seria um dos julgados no júri popular que aconteceu no dia 19 de novembro, sobre o desaparecimento e morte da modelo Eliza Samudio e terminou com a condenação de dois acusados, Luiz Henrique Romão, o Macarrão, e Fernanda Gomes Castro. Ele respondia por homicídio triplamente qualificado, sequestro, cárcere privado e ocultação de cadáver.

O primo do goleiro era considerado testemunha chave do caso Eliza. Em depoimento, ele deu detalhes sobre como ela foi morta. Por medo de retaliações, chegou a ser separado dos outros acusados e ficou detido no Presídio Antônio Dutra Ladeira, em Ribeirão das Neves, na região metropolitana da capital. Sales ficou presa por pouco mais de um ano e estava em liberdade desde agosto de 2011.

 
Veja Relacionados:  casal, primo do goleiro bruno, sérgio rosa sales, bruno fernandes, tjmg, tribunal,
casal  primo do goleiro bruno  sérgio rosa sales  bruno fernandes  tjmg  tribunal 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 

Fechar
Comunicar Erro

Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!
RSS