Repórter Record Investigação revela a escravidão
doméstica e sexual de crianças negras e pobres

127 anos depois da Lei Áurea, meninas quilombolas ainda são exploradas de todas as formas

Do R7

Repórter Lúcio Sturm e entrevistada
Repórter Lúcio Sturm e entrevistada Reprodução/ Rede Record

O Repórter Record Investigação desta segunda-feira (15), mostra um escândalo: a escravidão doméstica e sexual de crianças negras e pobres. Próximo das autoridades mais poderosas do País, meninas são amarradas, torturadas e obrigadas a ter relações sexuais.

Durantes dois meses, os repórteres Lúcio Sturm, Gustavo Costa e Marcelo Magalhães levantaram documentos exclusivos e investigaram uma "onda" de crimes bárbaros contra crianças, descendentes de escravos de um quilombo, a 320 km de Brasília. Hoje, essas comunidades isoladas estão abandonadas e clamam por socorro e justiça.

Meninas, de 9 a 14 anos de idade, são exploradas de todas as formas por famílias que deveriam protegê-las. A atração mostra quem são esses abusadores e por que eles ainda estão em liberdade.

O programa exibe também uma entrevista exclusiva com um homem condenado por violentar uma criança quilombola de apenas nove anos. E uma mãe em estado de choque dá um depoimento comovente ao saber, há poucos dias, que a filha adulta foi escravizada na infância.

O Repórter Record Investigação, comandado por Domingos Meirelles, é exibido às segundas-feiras, às 22h30. 

  • Espalhe por aí:

Twitter

X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!
Access log
Access log