Publicidade
Encontre uma Edição
DOM SEG TER QUA QUI SEX SAB
27 28 29 30 31 01 02

Edições Notícias

Publicado em 20/07/2012, às 21:31

A vida dos menores infratores da Fundação Casa

admin

O drama dos menores infratores. Nesta semana, no Repórter Record, Marcelo Rezende investiga como é a rotina dos adolescentes que se envolveram com o crime e hoje cumprem medidas sócio-educativas como internos da Fundação Casa, a antiga Febem. Como eles vivem sem a liberdade das ruas? E as famílias, o que passam diariamente? A angústia nas filas de espera, as revistas, a dor de mães, pais e irmãos, a ansiedade de quem está do lado de dentro. O que eles conversam? Quais planos alimentam? Como é a rotina até o próximo encontro?

O sonho de quase toda criança brasileira: se tornar jogador de futebol. Pois um dos internos da Fundação Casa chegou bem perto dessa conquista. Ele passou no teste para jogar em um time de São Paulo. Só que o crime falou mais alto e o garoto chutou a oportunidade para bem longe. Preso em flagrante, acabou recolhido. Agora imagine se esse jovem tivesse uma nova chance. Qual seria o comportamento dele? Como ele se sairia em novo teste? E se esse teste fosse no Santos de Neymar e Ganso? Foi o que a produção do Repórter Record negociou com o clube paulista. Imagine quanta emoção para esse garoto. O que a vida reserva para ele?

Registramos o último dia de um adolescente como interno da Fundação. E acompanhamos o momento em que a mãe vai visitar o filho pela última vez, depois do cumprimento de oito meses de medida sócio-educativa. Flagrado aos quinze anos traficando drogas, ele agora sonha com um destino melhor para a própria vida. Um reencontro emocionante. Nas mãos, ele carrega apenas as cartas que trocou com a mãe durante os meses em que ficou recolhido.

Você ainda vai conhecer a história de um dos internos mais novos. Com apenas 14 anos, ele foi detido por envolvimento com o tráfico de drogas. Por trás, uma história comum entre menores infratores. Nunca conheceu o pai. A mãe é viciada em crack e sobrevive catando lixo. E com nove irmãos, teve quem foi executado por traficantes. Os garotos foram praticamente criados por vizinhos e viviam nas ruas, bem longe da escola. Com uma realidade dessas, o menino também não resistiu às drogas. A primeira foi com apenas 5 anos. Não demorou para conhecer o crack. Como é a rotina de um garoto desses, hoje interno? O que ele sonha? O que a sociedade pode esperar dele?

Essas e muitas outras histórias emocionantes envolvendo internos da Fundação Casa de São Paulo, você vai ver neste domingo, com Marcelo Rezende, no Repórter Record.

Comente

    1. amanda disse: 23/07/12 ás 00:54

      na fudação casa quem tem o poder de dar a liberdade pro os adolencentes?
      o juiz ou eles da fudação

    2. claudia disse: 23/07/12 ás 00:56

      Fiquei sabendo por um funcionario da fundação casa que houve suicidio de um menor na quinta ou sexta-feira nao me recordo (dia 19 ou 21 de julho de 2012), ocorre que isso nao sai na mídia, porque ano de politica não é interessante, mas a realidade lá é outra, mostram apenas o que é bom se mostrar, mas fiquei sabendo de fonte segura que isso ocorreu, claro fica tudo no anonimato. Gostaria que vocês da emprensa fossem atrás desse fato e que viesse à midia, estas coisas não podem ficar obscuras.

    3. amanda disse: 23/07/12 ás 00:58

      para os jovens sair da fudação logo tem que ficar indo atras do advogado

    4. Claudia disse: 23/07/12 ás 00:59

      Ainda em tempo..o suícidio ocorreu na Unidade Fundação casao do Brás..mas não foi divulgado na imprensa...Lamentável

    5. Karoline Braz disse: 23/07/12 ás 21:09

      Tanta criança carente lutando, sofrendo, saindo de casa todos os dias cedo, que merece ser prestigiado pela luta com essa chance, Desperdiçam com um garoto dando uma segunda chance pois o mesmo tinha escolhido o crime. PARA né!eu ate credito em segunda chance, mais ela so é dada a quem mereça e vale a pena.

    6. denis azevedo disse: 24/07/12 ás 19:00

      bem marcelo rezende essa unidade da fundaçao casa de praia grande e uma pidada aonde ja se viu as muralhas que cercam a instituiçao serem construidas de blocos de cimento sera que isso vai segurar os menores infratores?
      ooutra coisa no programa cidade alerta deste dia 24/07 vc diz que tem que diminuir a idade desses menores para que possam cumprir as penas em um presidio de verdade (porque as umidades da fundaçao casa ta muito a desejar em materia de segurança)voltando ao assunto se nunca teve presidios suficientes pra abrigar os detentos normais aonde vai se colocar esses menores se diminuir a idade penal gostaria de saber boa noite

    7. elisangela disse: 26/07/12 ás 14:23

      Muito triste tenho 03 filhos, n me imagino numa situação dessas dói muito saber que estamos perdendo nossas crianças para o mundo do crime é só Deus para ter misericordia de nossas crianças

    8. jucimar pereira disse: 31/07/12 ás 12:59

      Preciso do numero de telefone do jornsalista Resende para denunciar um homen na cidade de Estancia Velha RGSul., pois este mesmo esta aterrorizando a cidade, mal carater, bandido e apolicia não prtende o camarada... como posso ter acesso a um num; de vtelefone para poder contar toda a historia. grata jucimar fico no aguardo

    9. Gi disse: 01/08/12 ás 12:44

      A informação de suicídio confere. Também fiquei sabendo de fonte segura. Acontece que os funcionários se revesam para DORMIR, e neste dia, havendo só um cuidando, o garoto aproveitou a oportunidade.

    10. maria disse: 13/08/12 ás 02:10

      o brasileiro nasce iludido e morre frustrado.
      se antigamente os sonhos de ser alguem ja era pura ilusao para o menino pobre, que muito sedo começava a trabalhar e tinha uns trocados!!!
      imagine hoje em dia, que sao proibidos de trabalhar, e na melhor idade para aprender uma profissao sao vetados pelas leis que acredita que estar protegendo o menor.

      nesse meio tempo com a cabeça vazia em meio as dificuldades financeira, a tendencia é partir para o delito,o qual lhes garante um numerario.
      muitos se viciam para fugir da realidade de muitas vezes nao ter um pao em casa para comer.
      enquanto outros encontram no trafico uma maneira facil de ganhar dinheiro e ainda sonham de um dia ser um traficante poderoso para imitar seu chefe.

      será que ninguem esta preocupado com isso? o povo sabe que nenhuma instituição mudara a cabeça deles, e a tendencia e sair e recomeçar tudo de novo.
      quem paga por isso? acredito que é o povo, a sociedade homissa, que muitas vezes se recusa ver os noticiarios para nao saber o que estar acontecendo em sua volta.
      somente quando o circo pegar fogo, todos vao acordar e se lamentar diante do proprio abismo.

    11. paulo amorim disse: 14/08/12 ás 10:32

      porque nao deixar que o exercito ou um sistema militar tome conta dos adolescentes internados na fundacao ,assim eles aprenderiam os valores e respeito as pessoas e as leis e estariam preparadas para o futuro

    12. lucilene disse: 07/09/12 ás 12:47

      agente nunca deve julgar as pessoas pelos erros dela, ninguém sabe o que leva a pessoa a cometer certos erros, hoje essa criança esta pagando pelo erro de seus pais, teve uma infância trágica, esta tendo uma adolecencia triste por esta longe da família , agora eu pergunto essa criança e culpada pelo erro de seus pais?