Justiça analisa nesta quarta-feira (13) a pena do goleiro Bruno e a validade da certidão de óbito da modelo Eliza Samudio

A Justiça de Minas Gerais vai analisar nesta quarta-feira (13) dois julgamentos de recurso apresentados pela defesa do ex-goleiro do Flamengo Bruno. O primeiro trata sobre a pena. Bruno foi condenado a 22 anos e três meses por homicídio triplamente qualificado. A alegação da defesa é que a pena dele foi muito maior que a do amigo Macarrão. O segundo diz respeito ao atestado de óbito da modelo Eliza Samudio emitido depois que Macarrão confessou que participou do assassinato. A justificativa da defesa para essa anulação é que o corpo nunca foi encontrada. O crime aconteceu em 2010.