• Twitter Created with Sketch.

Rio de Janeiro

Castrinho puxa carreata contra violência na Barra da Tijuca

Há um mês, ator e mulher foram vítimas de dois assaltos seguidos no Recreio

Pedro Neville, do R7

Castrinho esteve na quinta (11) na entrega de um prêmio da ABMN
Castrinho esteve na quinta (11) na entrega de um prêmio da ABMN Pedro Neville / R7

Um mês após Castrinho e a mulher, Andréa Guimarães, escaparem de dois assaltos no mesmo dia no Recreio, na zona oeste do Rio, o casal resolveu puxar uma carreata pela região pedindo paz. Dezenas de carros saíram por volta das 16h do Recreio Shopping e seguiram em direção ao começo da Barra da Tijuca.

O ator, que está no ar na novela Dona Xêpa, da Rede Record, conversou com o R7 sobre o propósito da manifestação.

— Quase não temos câmeras de vigilância no Recreio. A violência do jeito que está não pode continuar.

Em entrevista ao Cidade Alerta, da Rede Record, Castrinho e Andréa Guimarães deram detalhes sobre as duas abordagens de ladrões que sofreram. Em uma das tentativas de roubo, um criminoso armado disparou contra o carro em que estavam. A bala atingiu de raspão o queixo de Andréa. Ela contou que, graças a um movimento que fez com a cabeça, o ferimento não foi maior.

— Pisei e acelerei o carro. O cara já vinha na minha direção falando 'perdeu, perdeu' e atirou. Coloquei a minha cabeça pra trás, a bala bateu no meu queixo e desviou. Foi se alojar na porta.

Castrinho, que estava no banco do carona no momento do assalto, assumiu a direção do veículo e correu para o Hospital Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, onde a mulher foi atendida. Os exames apontaram que a lesão no queixo foi superficial.

Cerca de duas horas antes de ser baleada, Andréa já tinha escapado de um outro assalto. Ela contou que decidiu acelerar o carro ao ver bandidos armados. Os criminosos também realizaram um disparo, mas a bala atingiu outro veículo, onde estava uma mulher. Andréa afirmou que os ladrões, que pareciam menores de idade, fugiram rapidamente.

— Olhando pelo retrovisor, eu vi que a bala tinha parado em outro carro. Demos a volta no quarteirão e voltamos, mas os dois menores já tinham se evadido. Esperamos o Corpo de Bombeiros chegar para levá-la [a mulher baleada] para hospital. Quando estávamos quase chegando à delegacia para registrar a ocorrência, outros bandidos surgiram, saindo de uma van escolar.

Assista aos relatos de Castrinho e Andréa Guimarães na época do episódio:

  • Espalhe por aí:

Vídeos

Carregando

Twitter

X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!
Access log
Access log