Miliciano é morto durante operação policial na zona oeste do Rio

Carlinhos Três Pontes era um dos chefes da maior milícia do Estado do Rio

Carlos Alexandre Braga, mais conhecido como Carlinhos Três Pontes, foi elo entre milícia e tráfico de drogas
Carlos Alexandre Braga, mais conhecido como Carlinhos Três Pontes, foi elo entre milícia e tráfico de drogas Reprodução/Record TV Rio

O miliciano Carlos Alexandre Braga, mais conhecido como Carlinhos Três Pontes, morreu durante uma operação da Polícia Civil na madrugada desta sexta-feira (21). Ele era um dos chefes da maior milícia do Estado do Rio.

De acordo com as informações da polícia, o suspeito reagiu à prisão. Ele chegou a entrar em luta corporal com um agente, e foi baleado no tórax. O miliciano foi levado ao Hospital Municipal Lourenço Jorge, mas não resistiu aos ferimentos.

Carlinhos Três Pontes foi encontrado na casa de uma namorada, em Paciência, na zona oeste do Rio, área de atuação do miliciano, durante uma ação policial da DH (Divisão de Homicídios) e da DRFC (Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas). 

Durante uma entrevista coletiva, os diretor-geral de Policia Especializada, Marcelo Martins, e os delegados da DH e DRFC disseram que a operação foi calculada e conseguiu desarticular milícia momentaneamente.

Aliança com o tráfico

Ainda segundo os investigadores, Carlinhos Três Pontes tinha um perfil diferente dos outros milicianos. Ao contário da maioria, ele não era ex-policial e tinha passagem pelo tráfico de drogas. Em razão disso, o grupo liderado pelo miliciano fez aliança com uma facção criminosa. 

Na prática, o acordo buscava ajuda mútua. A mílica explorava atividades, como pontos de van e venda de gás, em áreas dominadas pelo tráfico de drogas. E a facção criminosa vendia drogas onde a mílicia, liderada por Carlinhos Três Pontes, atuava.

Assista 24 horas à programação da Record TV no celular, computador ou tablet