R7 - Rio de Janeiro

Rio de Janeiro

26 de Outubro de 2014

Notícias

 

Animais resgatados recebem cuidados de
veterinários e voluntários em Nova Friburgo

Coruja, coelho, chinchila, roedor, cães e gatos estão em um galpão da prefeitura

Evelyn Moraes, do R7, em Nova Friburgo | 24/01/2011 às 09h00

Publicidade

Uma coruja, uma chinchila, um roedor, um coelho, muitos gatos e cachorros estão na Coordenadoria de Bem Estar Animal do município de Nova Friburgo, na região serrana do Estado do Rio de Janeiro. Estes animais sobreviveram ao temporal do dia 11 de janeiro. Seus donos morreram ou se perderam dos bichos de estimação. A coruja foi encontrada ferida, escondida debaixo de galhos de árvores. Ela será solta assim que estiver curada.

Segundo a veterinária do Instituto Ecológico Búzios, Carla Sassi, 30 anos, cerca de 40 animais foram resgatados dos locais de risco de desabamentos. Todos foram levados para um galpão da prefeitura, na rua 1º de Março, no bairro Vilage, onde está montada a coordenadoria. Ela contou histórias tristes de cães que ainda se recuperam da tragédia.

Confira galeria de fotos com os animais resgatados

- A cadela Joana, que está aqui no abrigo, foi encontrada amarrada a uma corrente na casa dos donos no bairro Córrego Dantas. Eles morreram e ninguém sabe como ela sobreviveu. Ela estava muito ferida e debilitada. Fizemos um tratamento de fluidoterapia para ela se recuperar.

Outro animal que sofreu muito no dia da enchente foi a cadela Lost. A veterinária contou que ela estava em cima de um monte de terras muito assustada, com medo e tremia o corpo todo.

- Ela foi encontrada em um estacionamento, parecia que estava morrendo. Tivemos que fazer um trabalho de ressocialização para ela melhorar.

Na semana do temporal, os voluntários resgataram 30 cachorros e oito gatos. Muitos já foram doados. Alguns esperam os donos acertarem suas vidas para voltar para casa. Segundo Adilson Pacheco, de 52 anos, presidente da ONG Univida de Proteção Animal, outros que estavam perdidos já foram encontrados e resgatados pelos proprietários.

- Muitos moradores da cidade estão vindo aqui para procurar cães perdidos. A emoção de reencontrar os animais é muito grande. 

Ainda de acordo com Adilson, a prefeitura entrou em contato com a ONG para pedir ajuda imediatamente após a tragédia. Eles contam com o apoio de dez veterinários, voluntários e doações de rações e medicamentos.

O aposentado Jorge Ramos, de 65 anos, saiu do Rio para passar o dia no galpão. Ele disse que os animais estão muito carentes.

- Eles só querem um carinho.

Para doar, a população pode depositar qualquer quantia no banco Itaú. O número da agência é o 6542 e o da conta é o 06841-3. Quem encontrar algum animal perdido pode ligar para o número (22) 2522-1356. Os voluntários vão até o local resgatá-lo.

 

Tragédia das chuvas

O forte temporal que atingiu o Estado do Rio de Janeiro no dia 11 deste mês deixou centenas de mortos e milhares de sobreviventes desabrigados e desalojados, principalmente na região serrana.
 
As cidades de Nova Friburgo, Teresópolis, Petrópolis, Sumidouro, São José do Vale do Rio Preto e Bom Jardim foram as mais afetadas. Serviços como água, luz e telefone foram interrompidos, estradas foram interditadas, pontes caíram e bairros ficaram isolados. Equipes de resgate ainda enfrentam dificuldades para chegar a alguns locais.

Veja as galerias de fotos

No dia 14, a presidente Dilma Rousseff liberou R$ 100 milhões para ações de socorro e assistência às vítimas. Além disso, o governo federal anunciou a antecipação do Bolsa Família para os 20 mil inscritos no programa nas cidades de Nova Friburgo, Teresópolis e Petrópolis.

Empresas públicas e privadas, além de ONGs (Organizações Não Governamentais) e voluntários, também estão ajudando e recebem doações.
 
Os corpos identificados e liberados pelo IML (Instituto Médico Legal) são enterrados em covas improvisadas. Hospitais continuam com feridos internados. Médicos apelam por doação de sangue e remédios. Os próximos dias prometem ser de muito trabalho e expectativa pela localização de corpos.

Em visita à região de Itaipava, em Petrópolis, o governador Sérgio Cabral (PMDB) disse que ricos e pobres ocupavam irregularmente áreas de risco e que o ambiente foi prejudicado.

- Está provado que houve ocupação irregular, tanto de baixa quanto de alta renda. Está provado, também, que houve dano da natureza. Isso não tem a ver com pobre ou rico.

Doações na Igreja Universal

Para ajudar as vítimas, você pode doar água e alimentos não perecíveis em qualquer templo da Igreja Universal do Reino de Deus no Estado do Rio de Janeiro.


 
Veja Relacionados:  chuvas, região serrana
chuvas  região serrana 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 

Fechar
Comunicar Erro

Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!
RSS