R7 - Rio de Janeiro

Rio de Janeiro

1 de Outubro de 2014

Notícias

Após enxurrada, situação está sob
controle em Laje do Muriaé, diz Defesa Civil

Nível dos rios diminui a cada hora e moradores começam a voltar para casa

Do R7 | 05/01/2012 às 16h32
Publicidade

A situação do município de Laje do Muriaé, no noroeste fluminense, uma das cidades que estão em estado de emergência depois das enchentes provocadas pelas chuvas que atingem o Estado do Rio de Janeiro nesses primeiros dias do ano, estava sob controle na tarde desta quinta-feira (5).

De acordo com a Defesa Civil Estadual, o nível da água do rio Muriaé baixou 1,20 m e diminuirá 5 cm por hora. A expectativa é a de que não haja mais pontos de alagamento na cidade até sexta-feira (6) e que seja iniciado o trabalho de limpeza e higienização na região.

A cidade de pouco mais de 8.000 moradores, segundo dados do IBGE, registrava até a tarde desta quinta-feira pelo menos 2.000 desalojados e 83 desabrigados.

Vídeo: Dique se rompe a alaga bairro de Campos

Fotos: Veja os estragos causados pela chuva no interior

Em todo Estado do Rio são mais de 24 mil pessoas fora de casa por conta da chuva. A situação mais grave nesta quinta é em Campos dos Goytacazes. A Defesa Civil local informou que a elevação do rio Muriaé fez com que a BR-356, que funciona como dique de contenção, na localidade de Três Vendas, se rompesse e alagasse toda a região. A previsão é que a água atinja 2 m.

Caminhões removem as cerca de 1.200 famílias, aproximadamente 4.000 pessoas. Elas serão levadas para um acampamento improvisado no alto do morro do Tirranha, onde será feita uma triagem das famílias que deverão ser levadas para abrigos em escolas de Sapucaia, Outeiro, e caso seja necessário, em um Ciep de Travessão.

Em Campos, o rio Paraíba do Sul abaixou em quatro horas 10 cm. Ele estava em 11,05 m e, no início da tarde, estava em 10,95 m.

O rio Muriaé em Itaperuna estava em 6,13 m. De acordo com a Defesa Civil, da noite de ontem (4) até esta tarde o nível do rio já baixou 30 cm. A tendência é de diminuição ao longo do dia.

Em Cambuci, o rio Paraíba do Sul diminuiu 92 cm entre a noite de ontem e a manhã de hoje. O nível do rio estava em 4,83 m.// Segundo a Defesa Civil, existem 515 desalojados e 110 desabrigados. Na localidade de Funil, as ruas já não têm mais água. A prefeitura faz trabalho de limpeza na área. Já a localidade de flecheira, que conta com cerca de 80% dos afetados pela enchente, ainda permanece com água nas ruas.

São João da Barra ainda não tinha prejuízos com a elevação do nível do rio. Havia alguns pontos de transdordamentos, mas não impedia o tráfego de veículos.

A situação em São Fidélis estava controlada e algumas pessoas já voltavam para casa. O rio Paraíba do Sul que estava 5,40 m, baixou 80 cm durante a madrugada.

Em Italva, o nível do rio Muriaé estava com 5,18 m, cerca de 3,18 m acima da cota de transbordo. Ao todo 24 áreas públicas foram atingidas pelas águas. Aproximadamente 5.000 pessoas foram atingidas pela elevação do rio. A localidade mais afetada é a de São Pedro do Paraíso. Até o Pronto Socorro do município foi interditado.

O rio Pomba, em Santo Antônio de Pádua, já baixou e voltou a medir 3,5 m, considerada a cota de transbordo. O coordenador de Defesa Civil do município, Ângelo Abreu, informou que a prefeitura e os moradores começaram a fazer a limpeza de algumas ruas e casas. O município já chegou a ter mais de 12 mil desalojados, e 1.200 desabrigados.

Doações para as vítimas

A Cruz Vermelha recebe doações para a população atingida pela chuva no Estado do Rio, em especial as regiões serrana, norte e noroeste. Segundo a assessora de comunicação da Cruz Vermelha, Rosely Sampaio, as maiores necessidades são alimentos, água e colchões. O recolhimento está sendo feito na unidade central da Cruz Vermelha na cidade do Rio (Praça Cruz Vermelha, 10 ) e nas cidades afetadas.

O presidente da Cruz Vermelha no Rio, Luiz Alberto Lemos Sampaio, ressalta que todas as unidades estão em estado de alerta para entrar em ação a qualquer momento.

A Cruz Vermelha pede aos doadores que, se possível, doem cesta básica completa e sugere os seguintes itens: arroz, feijão, açúcar, café, leite em pó, fubá, farinha de mesa, macarrão, sardinha, salsicha, molho de tomate, biscoito e achocolatado, além de água mineral, colchões e cobertores.

Locais para doação

Rio de Janeiro
Praça da Cruz Vermelha, 10 - centro

Nova Friburgo
Praça Santana 85 - Cônego

Petrópolis
Rua Carlos Gomes nº 6 -  centro
Referência Entrada do bairro Mosela

Teresópolis
Rua Carmela Dutra, 661 A – Agriões

São João da Barra
Quintino Bocaiuva 294 – Loja 1  - centro

Itaperuna
Defesa Civil Bairro – Aeroporto
Rua Alcides Augusto de Magalhaes 470
Referência Clube Rottary (0xx22) 3824-6334

Banco Santander
Banco 033
Agência: 3201
Conta Corrente: 13002979-9
CNPJ: 08.560.973/0001-97


 
Veja Relacionados:  Após, enxurrada, situação, controle, Laje do Muriaé, Defesa Civil
Após  enxurrada  situação  controle  Laje do Muriaé  Defesa Civil 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 

Fechar
Comunicar Erro

Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!
RSS