R7 - Rio de Janeiro

Rio de Janeiro

23 de Abril de 2014

Notícias

Cinco estudantes que morreram em massacre
no Rio têm órgãos retirados para doação

Ao todo, dez vítimas do ataque continuam internadas

Do R7, com Rede Record | 09/04/2011 às 22h20
Publicidade

Dos 12 estudantes mortos no ataque à Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, zona oeste do Rio, cinco tiveram os órgãos retirados para doação. Ao todo, 38 pessoas que estão na fila aguardando transplante podem ser beneficiadas.

A ação do atirador ainda deixou outros 12 adolescentes feridos, dos quais dez seguem internados. No início da tarde deste sábado (9), a Secretaria Estadual de Saúde e Defesa Civil do Rio de Janeiro divulgou o estado de saúde destas vítimas, sendo oito meninos e duas meninas.

No Hospital Estadual Alberto Torres, um adolescente de 14 anos, que sofreu uma lesão vascular grave no ombro direito, foi operado, passa bem e está no CTI pediátrico.

Já no Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, está um menino de 13 anos, que foi baleado no olho direito e foi operado. O Paciente está em pós-operatório de neurocirurgia, em estado grave e sedado, ele respira com ajuda de aparelhos, mas está estável.

Uma menina de 13 anos, que foi atingida no abdome e na coluna, foi operada ontem no Hospital Estadual Albert Schweitzer e transferida para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes. Ela está lúcida, acordada e já respira espontaneamente.

Outras vítimas se encontram no Hospital Estadual Albert Schweitzer. Um jovem de 13 anos teve fratura de antebraço, mantém-se estável e continua em observação. Um adolescente de 14 anos, baleado no abdome e mão, permanece sedado, respirando com o auxílio de aparelhos, em estado grave, sob cuidados intensivos. Já o de 12 anos, baleado no abdome, foi encaminhado ao CTI pediátrico, sem previsão de alta sendo acompanhado pela equipe de cirurgia geral, ortopedia e pediatria.

No Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia uma vítima de 13 anos, que foi baleada no braço passa bem. Outra de 13 anos, baleada nas mãos, passa bem após a cirurgia e está em observação pelos médicos. Os dois permanecem internados na enfermaria da pediatria e estão estáveis.

O paciente do Hospital Universitário Pedro Ernesto, de 13 anos, baleado na perna e no braço encontra-se estável, consciente e lúcido.

A vítima que se encontra no Hospital da Polícia Militar e tem 14 anos foi baleado na cabeça, mão e clavícula. Foi operado na quinta-feira (6), encontra-se estável e passa bem. Está internado no CTI pediátrico.

Assista ao vídeo:

 

Entenda o caso

Por volta das 8h de quinta-feira (7), Wellington Menezes de Oliveira, 23 anos (a polícia chegou a divulgar que ele tinha 24 anos, mas a idade foi corrigida posteriormente), ex-aluno da Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, na zona oeste do Rio de Janeiro, entrou no colégio após ser reconhecido por uma professora e dizer que faria uma palestra (a escola completava 40 anos e realizava uma série de eventos comemorativos).

Conheça as vítimas do ataque à escola Tasso da Silveira

Armado com dois revólveres de calibres 32 e 38, ele invadiu uma sala de aula no primeiro andar e outra no segundo, e fez vários disparos contra estudantes que assistiam às aulas. Ao menos 12 morreram e outros 12 ficaram feridos, sendo três em estado grave, de acordo com levantamento da Secretaria Estadual de Saúde.

Duas adolescentes baleadas, uma delas na cabeça, conseguiram fugir e correram em busca de socorro. Na rua Piraquara, a 160 m da escola, elas foram amparadas por um bombeiro. O sargento Márcio Alexandre Alves, de 38 anos, lotado no BPRv (Batalhão de Polícia de Trânsito Rodoviário), seguiu rapidamente para a escola e atirou contra a barriga do criminoso, após ter a arma apontada para si. Ao cair na escada, o jovem se matou atirando contra a própria cabeça.

Com ele, havia uma carta em que anunciava que cometeria o suicídio. O ex-aluno fazia referência a questões de natureza religiosa, pedia para ser colocado em um lençol branco na hora do sepultamento, queria ser enterrado ao lado da sepultura da mãe e ainda pedia perdão a Deus.

Os corpos dos estudantes e do atirador foram levados para o IML (Instituto Médico Legal), no centro do Rio de Janeiro, para serem reconhecidos pelas famílias. Onze estudantes foram enterrados na sexta-feira (8) e uma foi cremada na manhã de sábado (9).

O corpo do atirador permanece no IML. Ele ficará no local por até 15 dias aguardando reconhecimento por parte de um familiar e liberação para enterro. Caso isso não ocorra, o homem de 23 anos pode ser enterrado como indigente.


 
Veja Relacionados:  tasso da silvera, escola, realengo
tasso da silvera  escola  realengo 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 

Fechar
Comunicar Erro

Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!
RSS