R7 - Rio de Janeiro

Rio de Janeiro

23 de Abril de 2014

Notícias

Duque de Caxias entra em estado
de alerta por causa da chuva

Segundo Inea, rio Capivari está no nível máximo e corre o risco de transbordar

Do R7 | 02/01/2012 às 11h30
Publicidade

O Inea (Instituto Estadual do Ambiente) informou às 11h desta segunda-feira (2) que o município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, entrou em estado de alerta devido à forte chuva que atinge o Rio de Janeiro. Segundo o órgão, o rio Capivari está no nível máximo e corre o risco de transbordar.

A cidade de Nova Friburgo está em estado de alerta máximo desde domingo (1º). O Inea informou que o Córrego Dantas também está no nível máximo. 

Veja a cobertura completa da tragédia na serra

Veja o antes e o depois das principais cidades serranas atingidas pela chuva

Chuva fecha Aeroporto Santos Dumont para pousos

Defesa Civil de Itaperuna pede a moradores que saiam de casas em risco
 
Petrópolis está em estágio de atenção por conta da chuva 

Prefeitura de Bom Jardim fecha ponte metálica que liga município a Nova Friburgo

O Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) registrou o acumulado de 135,2 mm de chuva na cidade, entre domingo e 4h desta segunda. A marca representa mais da metade da média do mês de janeiro, em pouco mais de 24 horas. Desta forma, Nova Friburgo é a cidade com o maior índice de chuva entre esse curto período para todo o Estado do Rio.

O município, um dos mais afetados pelo temporal de janeiro do ano passado, está em alerta máximo desde ontem, segundo o subcoordenador de Defesa Civil Róbson Teixeira.

- O problema foi que um pequeno trecho do córrego Dantas transbordou pela manhã. Por sorte, na parte da tarde a chuva diminuiu e o córrego começou a voltar ao leito.

Tragédia das chuvas

Um forte temporal atingiu a região serrana do Estado do Rio de Janeiro entre a noite de 11 de janeiro de 2011 e a manhã do dia seguinte. Choveu em 24 horas o esperado para o mês inteiro e o resultado foi a maior tragédia climática registrada no país, segundo especialistas de várias áreas.

Deslizamentos de terra e enchentes mataram mais de 900 pessoas e deixaram quase 400 desaparecidas. Cerca de 30 mil sobreviventes ficaram desalojados ou desabrigados. Escolas, ginásios esportivos e igrejas viraram abrigos. Hospitais ficaram cheios de feridos na primeira semana; estando a maioria já recuperada. Cerca de 15 dias depois da catástrofe, doenças como leptospirose (provocada pelo contato com a urina de rato) começaram a assolar a população. Autoridades então passaram a monitorar casos confirmados e pacientes suspeitos, além de educar o povo em relação à prevenção.
 
As cidades de Nova Friburgo, Teresópolis, Petrópolis, Sumidouro, São José do Vale do Rio Preto, Bom Jardim e Areal foram as mais afetadas e decretaram estado de calamidade pública. Serviços como água, luz e telefone foram interrompidos, estradas foram interditadas, pontes caíram e bairros ficaram isolados durante alguns dias.

Veja algumas fotos

Vídeos revelam detalhes


 
Veja Relacionados:  Inea, rio, Capivari, Friburgo, Caxias
Inea  rio  Capivari  Friburgo  Caxias 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 

Fechar
Comunicar Erro

Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!
RSS