R7 - Rio de Janeiro

Rio de Janeiro

22 de Outubro de 2014

Notícias

Greve de ônibus na baixada provoca
confusão em Nova Iguaçu

Manifestantes usaram bomba em terminal rodoviário e PM foi para o local

Do R7 | 30/03/2012 às 08h35 | Atualizado em: 30/03/2012 às 13h06

Publicidade

A greve dos rodoviários de municípios da Baixada Fluminense provocou confusão no terminal de Nova Iguaçu na manhã desta sexta-feira (30). Passageiros reclamavam da falta de ônibus e da demora na chegada de veículos nos pontos. Alguns motoristas que aderiram à greve tentaram impedir funcionários que saíam com os ônibus para trabalhar. Houve tumulto e a Polícia Militar precisou conter a ação dos manifestantes, que usaram bombas no conflito.

Veja fotos do 2º dia de greve

Mural: Você foi afetado pela greve de ônibus na região metropolitana? Mande seu relato

Enquete: Você acha que a greve dos ônibus é a solução para o aumento salarial?

Devido à falta de coletivos, os usuários de trem reclamaram que o número de pessoas aumentou muito na manhã desta sexta.

Na região metropolitana do Rio, a greve iniciada na quinta-feira (29) continua. Os passageiros colocaram em dúvida se o número de 40% de veículos - mínimo de carros que deveriam estar nas ruas, estipulada por meio de decisão judicial – estava realmente rodando. O não cumprimento desta decisão acarreta em uma multa de R$ 100 mil diários a categoria em greve.

Região metropolitana e baixada

O Sindicato dos Rodoviários de Niterói ganhou, na noite de quinta-feira (29), a adesão dos motoristas e cobradores dos municípios da Baixada Fluminense. Ao entrar no segundo dia da greve, no entanto, o Sindicato de Niterói irá se reunir em uma audiência de conciliação com o Setrerj (Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro), no TRT (Tribunal Regional do Trabalho), às 13h desta sexta-feira. A greve dos motoristas e cobradores, que começou na quinta-feira (29), afetou cerca de 1,3 milhão de pessoas na região metropolitana do Rio.

De acordo com Joaquim Graciano da Silva, presidente do Sindicato dos Transportes Rodoviários de Nova Iguaçu, a greve na baixada estava marcada para ter início à meia-noite de sexta, porém os grevistas resolveram antecipar a paralisação.


- Deveríamos começar a greve à meia-noite de forma organizada. Eles [os grevistas] me pediram para que os orientassem, mostrasse a eles os prós e contras. Mas não quiseram esperar, estavam irredutíveis e começaram a greve. Eu gostaria que a paralisação fosse feita de uma forma organizada, inclusive mostrei a eles a liminar que foi imposta para o movimento, mas eles estavam irredutíveis.

Rodoviários pedem aumento salarial de 16%

Os rodoviários decidiram parar a circulação de ônibus na madrugada desta quinta-feira (29). Eles pedem aumento salarial de 16%, o fim da dupla função (motoristas que também fazem função de cobradores), reajuste de 50% no valor da cesta básica e o fim da função de motorista júnior.

Já as empresas de ônibus ofereceram 10% de aumento e 25% de reajuste da cesta básica, mas a proposta não foi aceita pela categoria. O superintendente do Setrerj diz que a greve tem motivação política.

- Existem diversas lideranças disputando a presidência do sindicato [dos rodoviários]. Não tem nada a ver com reajuste salarial para a classe. O reajuste tarifário foi de 5,5% e as empresas estão oferecendo um aumento de 10%. A cesta básica foi reajustada em 25%. Mais do que isso é impossível. Os rodoviários da capital e Duque de Caxias aceitaram sem resistência.

Vans cobravam até R$ 15 por passagem

Nesta quinta-feira, passageiros lotavam os pontos de ônibus em cinco municípios do Grande Rio: Niterói, São Gonçalo, Marica, Itaboraí e Tanguá. Sem coletivos nas ruas, muitos recorreram a caronas em carros particulares e transporte alternativo, o que provocou congestionamentos nas principais vias da região.

Vans irregulares chegaram a circular durante toda a madrugada. Passageiros denunciaram que motoristas chegavam a cobrar de R$ 10 a R$ 15. Uma passageira que preferiu não se identificar disse que um condutor chegou a cobrar R$ 10 para levá-la de Niterói para São Gonçalo.

- Nós pedimos para um motorista de van levar a gente em casa e ele cobrou R$ 10. Eu só tenho R$ 5,60 da passagem.

Assista aos vídeos:

 


 
Veja Relacionados:  motoristas, empresas, greve
motoristas  empresas  greve 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 

Fechar
Comunicar Erro

Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!
RSS