R7 - Rio de Janeiro

Rio de Janeiro

27 de Novembro de 2014

Notícias

 

Secretário de Desenvolvimento Social de Teresópolis quer
aumentar número de pessoas que receberão aluguel social

Mais de 5.000 famílias já foram cadastradas em toda a região serrana

Do R7 | 28/01/2011 às 15h57
Publicidade

O secretário de Desenvolvimento Social de Teresópolis, Rudimar Caberlon, vai apresentar, na próxima segunda-feira (31), ao secretário estadual de Assistência Social e Direitos Humanos, Rodrigo Neves, uma proposta para ampliar para cinco mil o número de famílias beneficiadas pelo aluguel social.

O cadastramento de 2.500 famílias desabrigadas e desalojadas foi finalizado nesta sexta-feira (28), uma semana após o início do trabalho realizado por profissionais do município com a supervisão de técnicos da Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, que coordena o levantamento de dados das vítimas das chuvas na região serrana. Segundo o secretário Rudimar Caberlon, é necessário aumentar o número de famílias que serão beneficiadas pelo aluguel social.

- Já conversei com o prefeito Jorge Mario e constatamos a necessidade de dobrar o número de famílias. A intenção é que cinco mil possam receber o aluguel social. 

De acordo com a Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos do Rio, 5.149 famílias já foram cadastradas desde a última sexta-feira (21) para recebimento do aluguel social.

Em visita a Teresópolis no último dia 20, o governador Sergio Cabral anunciou que seis mil famílias receberão o aluguel social no valor de R$ 500, por 12 meses, em Teresópolis, Petrópolis e Nova Friburgo. Já em Sumidouro, São José do Vale do Rio Preto, Bom Jardim e Areal, mil famílias serão beneficiadas com R$ 400 mensais. O valor total dos recursos para as sete cidades é de R$ 40,8 milhões por ano.

O objetivo do governo estadual é pagar a primeira parcela do aluguel social em fevereiro. O benefício será pago por 12 meses.

Tragédia das chuvas

O forte temporal que atingiu o Estado do Rio de Janeiro no dia 11 deste mês deixou centenas de mortos e milhares de sobreviventes desabrigados e desalojados, principalmente na região serrana.
 
As cidades de Nova Friburgo, Teresópolis, Petrópolis, Sumidouro, São José do Vale do Rio Preto, Bom Jardim e Areal foram as mais afetadas e decretaram estado de calamidade pública.

Serviços como água, luz e telefone foram interrompidos, estradas foram interditadas, pontes caíram e bairros ficaram isolados. O número de mortos passa de 800 e também há mais de 500 desaparecidos. Quase 30 mil estão fora de suas casas.

Veja algumas fotos

Vídeos revelam detalhes

No dia 14, a presidente Dilma Rousseff liberou R$ 100 milhões para ações de socorro e assistência às vítimas. Além disso, o governo federal anunciou a antecipação do Bolsa Família para os 20 mil inscritos no programa nas cidades de Nova Friburgo, Teresópolis e Petrópolis. Nesta quinta-feira (27) a presidente volta ao Estado para anunciar a entrega de 2.000 casas para desabrigados nas três cidades.

Na última segunda-feira (24), casas em áreas interditadas começaram a ser demolidas em Nova Friburgo. Além das casas que serão construídas pelo governo federal, 8.000 serão feitas pelo governo estadual.

O Estado espera recursos do Banco Mundial, de até R$ 850 milhões, para obras de contenção e compra de áreas para a construção de residências. A expectativa do governo fluminense é que ao menos R$ 350 milhões sejam liberados em abril.

Veja fotos de antes e depois das cidades atingidas pelas chuvas 
Arraste a seta para ver as imagens

Doações na Igreja Universal

Para ajudar as vítimas, você pode doar água e alimentos não perecíveis em qualquer templo da Igreja Universal do Reino de Deus, no Estado do Rio de Janeiro.


 
Veja Relacionados:  famílias, região serrana, aluguel social
famílias  região serrana  aluguel social 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 

Fechar
Comunicar Erro

Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!
RSS