R7 - Rio de Janeiro

Rio de Janeiro

30 de Setembro de 2014

Notícias

Vazamento em adutora espalha 1 milhão de
litros d´água em ruas da zona norte do Rio

Água invadiu pelo menos 40 casas em Tomás Coelho; em algumas, nível atingiu 1 m

Mariana Costa e Sérgio Vieira, do R7 | 23/04/2011 às 14h06
Publicidade

A enxurrada de água que invadiu a casa de vários moradores foi de cerca de 1 milhão de litros d´água, de acordo com cálculos realizados pelos técnicos da da Cedae (Companhia Estadual de Águas e Esgotos). Para chegar ao número, eles consideram o diâmetro de 1,75 metro e os 30 minutos em que ficou jorrando água pelas ruas de Pereira Pinto e Engenho do Mato, em Tomás Coelho, no subúrbio do Rio. O vazamento começou por volta das 5h da madrugada de sexta para sábado (23). 

O volume de água era tão grande que muitos moradores acordaram “boiando na cama”. Morador da rua Pereira Pinto, Paulo Fernandes conta que estava acordado desde a madrugada para ver a alvorada em homenagem a São Jorge (cujo dia é celebrado hoje) quando ouviu um barulho estranho. Instantes depois, uma enorme enxurrada desceu a rua. 

- Saiu todo mundo gritando: água! água! A enxurrada desceu levando tudo. 

Ao todo, segundo a Cedae, 40 casas foram atingidas. A empresa informa ainda que o prazo máximo para restabelecer o serviço será de 48 horas, já que muitos bairros do entorno ficaram sem água desde o rompimento da adutora. A tubulação afetada era responsável pelo fornecimento de água para 15% da região metropolitana e muitos bairros da zona norte da cidade. 

No entanto, a companhia disse que há outras adutoras menores que conseguem suprir água, em menor escala, para algumas residências em diversos bairros afetados. 

Além da água, muita lama tomou conta das ruas e deu trabalho aos garis da prefeitura, que, por volta do meio-dia, ainda tentavam tirar a terra e o lixo que se espalharam. 

Vizinho de Fernandes, o estudante Julio César diz que ficou sem saber o que fazer diante de tanta água. Ele conta que acordou com os fogos de São Jorge e os gritos da vizinhança, a maioria pega de surpresa pela água, vestindo pijamas e camisolas.
- Chegava a fazer onda. Ficamos sem saber como ajudar. As pessoas acordaram boiando na cama. 

Um trecho da rua Engenho do Mato teve que ser interditado para que técnicos e máquinas da Cedae pudessem fazer os reparos. Um pedaço de 3 m da tubulação será totalmente substituído. 

Parte do cano que se rompeu será analisada em laboratório para descobrir as causas do acidente. O rompimento aconteceu em um terreno onde haviam casas demolidas recentemente para a construção do novo viaduto de Tomás Coelho. 

Razões para o incidente 

O diretor de produção e grandes operações da Cedae, Jorge Briard, diz que as escavações para as obras do viaduto podem ter indiretamente provocado o acidente ao desestabilizar o terreno, mas ressalta que essa é apenas uma das hipóteses.
- Pode ter havido uma desestabilização do terreno. 

Cerca de 5.000 litros por segundo de água passam por essa tubulação, vazão suficiente para abastecer o equivalente a 18 bairros. O cano de concreto e aço, com 1,75 m de diâmetro, está no local há 30 anos e é considerado novo pela Cedae. 

Briard explica que o abastecimento foi interrompido, mas quem tem caixa d’água não será prejudicado. A expectativa é que os trabalhos de reparo sejam concluídos na noite deste sábado (23). 

A concessionária se comprometeu a indenizar as famílias que perderam móveis e eletrodomésticos, mas até as 13h não havia feito um levantamento entre todos os moradores prejudicados.


 
Veja Relacionados:  vazamento, litros, zona norte,
vazamento  litros  zona norte 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 

Fechar
Comunicar Erro

Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!
RSS