• Twitter Created with Sketch.

Caso Pesseghini: tio-avô aponta “mentiras” de testemunhas e defende Marcelo

Sebastião Oliveira Costa aguarda pela conclusão do caso e promete aceitar resultado

Do R7, com Hoje em Dia

Tio de Marcelo não acredita que ele matou os pais em SP
Tio de Marcelo não acredita que ele matou os pais em SP Reprodução/TV Record

Sebastião Oliveira Costa, tio-avô de Marcelo Pesseghini, o jovem de 13 anos tido como principal suspeito de matar os pais, um casal de PMs, e mais duas pessoas da família antes de se suicidar, no último dia 5 de agosto, continua se negando a acreditar na principal linha de investigação da polícia.

Em entrevista exclusiva ao programa Hoje em Dia, a TV Record, Costa apontou que o caso está cercado de depoimentos que conflitam com o que a família sabe sobre os Pesseghini. Segundo o tio-avô de Marcelo, nenhum familiar aceita os rumos do caso.

— Eu estou me expondo porque a família não aguenta mais, é só acusação em cima da criança e não tem uma resposta concreta.

Falta de laudos e perfil psicológico devem levar à prorrogação para fim de inquérito

Entenda o caso da família morta na Vila Brasilândia

Um dos pontos que mais irritou Costa foi o recente depoimento de um policial da Rota (Rotas Ostensivas Tobias de Aguiar), companheiro do sargento Luiz Marcelo Pesseghini na corporação, no qual o oficial disse ter ouvido falar que o filho do sargento teria ameaçado a mãe, a cabo da Polícia Militar Andréia Bovo Pesseghini, de morte em uma discussão.

— Isso aí não é verdade. Se isso tivesse acontecido, o Marcelo teria falado para nós que somos da família, não com pessoas que são da polícia. A gente não conhece essa pessoa, nem sabemos quem é ela.

O tio-avô do adolescente continua acreditando no Marcelinho “tranquilo e dócil” que conheceram, sem conseguir aceitar a ideia de que o menino, por gostar de jogos de videogame violentos ou ter conhecimento de direção e armas, poderia cometer um crime tão bárbaro.

Assista ao vídeo:

  • Espalhe por aí:

Twitter

X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!
Access log
Access log