Small-house Faça do R7.com sua página inicial

SIM NÃO

São Paulo

11/12/2013 às 11h15 (Atualizado em 11/12/2013 às 11h17)

Com baixa adesão, Conselho Participativo Municipal divulga novos eleitos

Problema com urnas na zona sul causou atraso na divulgação do resultado; PT tem maioria

Do R7

Paulistanos escolheram mais de mil conselheiros municipais Divulgação / Agência Brasil

O Conselho Eleitoral designado pela Prefeitura de São Paulo divulgou na noite desta terça-feira (10) os novos 1.125 conselheiros municipais da capital paulista. Os resultados da eleição, ocorrida no último domingo (8), demoraram mais de 48 horas para serem divulgados, apesar da adesão baixa – cerca de 120 mil pessoas foram às urnas, bem abaixo tanto dos 8,6 milhões com direito a voto quanto dos 500 mil estimados pela prefeitura. A posse acontece no dia 25 de janeiro, aniversário da cidade.

O Conselho Participativo Municipal terá um caráter consultivo, com um conselheiro para cada 10 mil habitantes. O grupo irá representar a população da capital junto à prefeitura, preenchendo um total de 1.125 vagas. Os eleitos poderão acessar informações públicas, sugerir medidas, contestar atos do poder público nas regiões em que atuarem e até mesmo convocar o prefeito Fernando Haddad para prestar esclarecimentos.

Um total de 2.855 pessoas se candidatou, o que correspondia a mais de dois candidatos por vaga. O colegiado eleito amplia, segundo a proposta, a participação popular e a transparência nas 32 subprefeituras, tendo a atribuição de fiscalizar e participar do planejamento e da aplicação dos recursos públicos na capital paulista. Entretanto, o jornal O Estado de S. Paulo publicou nesta quarta-feira (11) que o PT teve 41 filiados eleitos entre os 96 primeiros colocados, contra apenas cinco do PSDB, principal partido de oposição.

Confira a lista completa dos eleitos para o Conselho Participativo Municipal

“Conselho não será lugar para disputa política”, diz coordenador do Movimento Nossa São Paulo

Em entrevista ao R7 antes do pleito, Maurício Broinizi Pereira, coordenador da Secretaria Executiva do Movimento Nossa São Paulo, destacou que os avanços na participação popular são claros, mas que os próximos dois anos – tempo do mandato dos novos conselheiros – vão apresentar os prós e contras do processo. As disputas partidárias, que deveriam ficar de fora de acordo com ele, são um ponto a ser acompanhado.

— Essa população que vai integrar esses conselhos também precisa fiscalizar se esses conselhos não estarão se tornando palco de disputas político-partidárias, de aparelhamento ou de instrumentos de poderes que não sejam efetivamente aqueles que a população esperava com a criação dos conselhos. Ao mesmo tempo, se o Poder Executivo, que vai criar os conselhos, não criar mecanismos efetivos para respeitar esses processos deliberativos, os participantes vão começar a perceber que não está adiantando a participação, então provavelmente passará por críticas, debates, questionamentos, por isso que a gente afirma que esse processo todo precisa ser aprimorado.

  • Espalhe por aí:

Veja também

Todas as notícias
Publicidade
Compartilhe
Compartilhe
Zona leste

Pai mata mulher, filha de quatro anos e tenta assassinar bebê dentro de casa

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Guarulhos

Polícia Civil investiga namorado de funkeira encontrada morta

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Durante o show

Último forró: marido traído executa “rei dos teclados” em Santo André

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Você moraria nestes lugares?

Veja como estão imóveis que foram cenários de tragédias em São Paulo

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
  • Últimas de São Paulo

  • Últimas de Notícias

X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!