Justiça de SP manda bloquear até R$ 520 milhões de empresa de Maluf

Valor corresponde ao que teria sido desviado pelo político quando era prefeito da capital

Empresa diz que vai tomar medidas judiciais para reverter a decisão
Empresa diz que vai tomar medidas judiciais para reverter a decisão Nelson Antoine/Fotoarena/AE

A Justiça de São Paulo determinou o bloqueio dos bens até o limite de R$ 519,7 milhões da Eucatex S.A. Indústria e Comércio. O valor corresponderia ao que teria sido desviado pelo ex-prefeito da capital paulista e deputado Paulo Maluf (PP) e serviria para ressarcir os cofres públicos por causa de dinheiro supostamente desviado da prefeitura.

A decisão é da juíza Celina Kiyomi Toyoshima, da 4ª Vara da Fazenda Pública. Na liminar, Celina escreveu que pode reconsiderar a decisão, desde que "haja comprovação, por parte da Eucatex, do risco iminente de quebra, por conta do bloqueio [cerceamento das atividades empresarias]". 

A liminar havia sido pedida pelo promotor Silvio Antônio Marques, da Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público.O pedido do Ministério Público se baseia na suspeita de que a Eucatex se desfaria de bens a fim de evitar que sejam usados para ressarcir a administração municipal.

Outro lado

Procurada pela reportagem do R7, a Eucatex disse que não foi oficialmente comunicada da decisão e que, assim que for, “tomará as medidas judiciais cabíveis” para revertê-la. Ainda de acordo com a empresa, em 2009, o pedido de bloqueio de bens já havia sido negado pela Justiça em primeira e segunda instâncias.

A Eucatex reforçou tem capital aberto e centenas de acionistas, inclusive, o deputado Paulo Maluf, mas que ele não ocupa cargo de direção e nem é membro do conselho administrativo. O capital da empresa, de acordo com balanço publicado no Diário Oficial do Estado de SP, em 21 de março, passa de R$ 1 bilhão. 

Leia mais notícias de São Paulo

Maluf terá de devolver cerca de R$ 60 milhões à Prefeitura de SP

STF investiga caixa 2 na reeleição de Maluf em 2010