São Paulo

30/4/2013 às 00h30

Morta por ter apenas R$ 30 reais na conta, dentista havia depositado cheques um dia antes do crime

Porém, valores ainda não haviam sido creditados quando ladrões tentaram sacar

Do R7, com Jornal da Record

Cinthya (foto) foi torturada e queimada viva Reprodução/Rede Record

Os pais da dentista Cinthya Magaly Moutinho de Souza, de 47 anos, contaram, nesta segunda-feira (29), que ela havia depositado vários cheques na conta bancária um dia antes de ser morta por assaltantes. No entanto, quando os ladrões pegaram o cartão da vítima e foram a um caixa eletrônico sacar dinheiro, só havia R$ 30, porque as ordens de pagamento ainda não tinham sido compensadas.

A dentista foi morta no fim da manhã da última quinta-feira (25), no consultório dela, em São Bernardo do Campo, no ABC. Os criminosos atearam fogo nela, após perceberem a vítima não tinha mais dinheiro. Três suspeitos do crime, entre eles um adolescente, foram presos no fim de semana. Um quarto homem, que já havia sido identificado, foi preso na madrugada desta segunda-feira (29), por meio de uma denúncia anônima.

Os cheques ainda não haviam sido compensados e a dentista só tinha R$ 30 na conta. Ela foi torturada enquanto um dos integrantes da quadrilha foi a um caixa eletrônico em um posto de combustíveis próximo ao consultório. 

Leia mais notícias de São Paulo

O crime

A dentista Cinthya Magaly Moutinho de Souza, de 47 anos, foi queimada viva durante um assalto dentro de seu consultório, na rua Copacabana, bairro do Jardim Anchieta, em São Bernardo do Campo. De acordo com a Polícia Militar, Cinthya atendia uma paciente — cujo nome não foi divulgado — quando criminosos apertaram a campainha. Um dos bandidos disse que precisava de atendimento odontológico e a dentista abriu o portão. Logo, mais dois invadiram a casa. A paciente ficou com os olhos vendados durante toda a ação e teve a bolsa, o celular e dinheiro roubados.

Cinthya disse que estava com pouco dinheiro, mas forneceu o cartão do banco e a senha. Os criminosos sacaram R$ 30 da conta da dentista em um banco próximo ao local do crime.

Vítima pediu para não morrer antes de ser queimada viva, informa delegado

Crimes brutais chocam o País. Relembre casos

Segundo a paciente, única testemunha do crime, por volta das 12h30, a dentista começou a passar mal e, um dos bandidos, que aparentava ser menor de idade, resolveu encharcá-la com álcool para assustá-la. Segundo informações da polícia, eles queimaram a vítima por não terem conseguido levar mais dinheiro.

De acordo com o delegado seccional de São Bernardo, Waldomiro Bueno Filho, a paciente — que não ficou ferida — conseguia ouvir a dentista gritando "não faz isso" e pedindo socorro.

— Ela tentou apagar o fogo quando os bandidos fugiram, mas não foi possível. A dentista morreu em menos de três minutos.

Assista ao vídeo: 

  • Espalhe por aí:

Veja também

Todas as notícias
Publicidade

Vitrine de ofertas

Compartilhe
Compartilhe
Assalto na Dutra

Empresário morto ao saltar de carro em movimento era fã de armas e velocidade

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Crise no abastecimento

Moradores de Itu são obrigados a improvisar para conseguir água

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
17 anos

Sessão de tortura de garota queimada com cigarro durou quatro horas

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Você moraria nestes lugares?

Veja como estão imóveis que foram cenários de tragédias em São Paulo

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
  • Últimas de São Paulo

  • Últimas de Notícias

X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!