• Twitter Created with Sketch.

Polícia e usuários entram em confronto na Cracolândia em São Paulo

Confusão se espalhou pelo centro da cidade; lojas foram saqueadas e pedestres, roubados

Gustavo Basso, do R7

Policiais em ação dentro do "fluxo" na Cracolândia
Policiais em ação dentro do "fluxo" na Cracolândia Danilo Verpa/10.5.2017/Folhapress

Tropas de choque da Polícia Militar e da da GCM (Guarda Civil Metropolitana) entraram em confronto com usuários de drogas na região conhecida Cracolândia, no bairro da Luz, centro de São Paulo, nesta quarta-feira (10).

Carros foram virados e uma fogueiras foram incendiadas em diferentes ruas como barricada contra o avanço das tropas, e uma viatura foi apedrejada.

Ao menos duas pessoas foram feridas por arma de fogo e foram no pronto-socorro da Barra Funda. Uma delas, encaminhada à Santa Casa com ferimento no rosto. Outros dois feridos foram levados à Santa Casa e no início da noite passavam por avaliação, sem previsão de alta.

Após o início do conflito, lojas e estabelecimentos nos arredores da Cracolândia foram saqueados. Segundo relatos, a confusão se espalhou para áreas do centro mais afastadas. Um fotógrafo foi agredido e teve seu equipamento roubado, e alunos da escola de música estadual e usuários do Poupatempo estariam ilhados no interior dos prédios.

Segundo a PM, a confusão começou depois que homens da GCM se depararam com um roubo na Alameda Dino Bueno, perseguiram o suspeito de praticá-lo e o prenderam. A GCM então pediu apoio da PM para conter a confusão que se formou após a detenção. A polícia também precisou interditar vias na região da Cracolândia, como a Avenida Rio Branco, no sentido da Marginal do Tietê.

Vídeos obtidos pelo R7 mostram que no começo desta noite polícia e guarda municipal ainda controlavam o fluxo de veículos e pessoas na região, com grande número de viaturas e tropas.

A reportagem ainda não conseguiu contato com a GCM. O caso está sendo investigado pelo 77º Distrito Policial (Santa Cecília), que não divulga o número de detidos na operação.

Morte

Nesta terça-feira (9) um corpo foi encontrado encontrado no Bom Retiro, a 3 km da Cracolândia, com as mãos amarradas e marcas de ferimento. A principal suspeita é de que seria Bruno de Oliveira Tavares, de 34 anos, funcionário de uma empresa de remoção de dependentes químicos que foi contratada pela mãe de uma usuária.

Segundo depoimento do proprietário da clínica à polícia, os criminosos que comandam o tráfico na região teriam exigido a presença da mãe da usuária que seria removida no local. O proprietário foi buscar a mãe, mas Tavares ficou; quando voltou para a Cracolândia, o auxiliar já havia desaparecido.

Até o momento não há indícios de que a ação policial tenha alguma relação com a morte ocorrida na última quarta-feira (3).

Leia mais notícias de São Paulo

  • Espalhe por aí:

Twitter

X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!
Access log
Access log