Saúde

24/2/2013 às 00h10 (Atualizado em 24/2/2013 às 16h26)

Bebê sacudido de um lado para outro por mulher pode ficar tetraplégico e ter problemas hormonais

Maus-tratos podem causar danos permanentes em crianças, indica especialista

Do R7

Sacudir a cabeça pode causar danos permanentes a bebês Reprodução/Rede Record

Um vídeo com imagens de uma mulher sacudindo um bebê recém-nascido deixou internautas revoltados na última semana. Nas imagens, uma criança de colo é sacudida pelos braços enquanto seu corpo está de ponta cabeça.

A violência pode trazer consequências graves e irreversíveis para a saúde de crianças recém-nascidas, como hemorragia no crânio do bebê e, em casos extremos, até deixar a criança tetraplégica. Existe, inclusive, uma doença que caracteriza este tipo de agressão: a síndrome do bebê sacudido.

Leia mais notícias de Saúde

Professor da unidade de Endocrinologia Pediátrica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, Durval Damiani comenta os riscos de uma agressão desse tipo:

— Este tipo de caso é extremamente grave pelo potencial de lesão. Uma criança que tem um problema desse tipo pode ter uma série de problemas neurológicos. Além disso, no pescoço passam estruturas para manter o órgão mais importante que nós temos, que é o cérebro. Uma lesão em qualquer estrutura deste tipo é sempre muito grave.

Danos podem ser permanentes

Especialista em Endocrinologia Pediátrica, Damiani ainda indica que, além de traumas neurológicos, a criança ainda pode ter problemas hormonais graves que afetem o seu desenvolvimento originados desse tipo de agressão. O médico ainda faz um paralelo entre o bebê sacudido e um lutador de boxe que vai a nocaute.

— O lutador vai a nocaute porque ele tem um deslocamento rápido da cabeça. Esse movimento de chicote que você tem no pescoço é extremamente grave. Você pode até lesar as vértebras na base do crânio. Uma lesão desse tipo pode fazer uma criança entrar em coma ou até ficar tetraplégica.

De acordo com Damiani, também é importante que os adultos saibam como pegar corretamente as crianças e também pede atenção aos pais sempre que seus filhos tiverem algum tipo de batida na cabeça.

— As pessoas precisam tomar muito cuidado pela maneira como se pega uma criança. Não pode pegar o corpo sem dar sustentação para a cabeça. Nunca levante a criança puxando pelo ombro. Quando a criança bate a cabeça, tem que ficar atento ao que acontece depois.

Antecedentes

Em junho de 2012, ocorreu um caso semelhante em Belo Horizonte (MG). A babá Eliane Vieira Santos sacudiu um bebê com tanta força que a criança teve uma hemorragia cerebral e foi internada em estado grave.

Eliane foi acusada de tentativa de homicídio e responde processo em liberdade. Enquanto isso, a menina que foi vítima da babá ainda tem dificuldades para enxergar, andar e ainda crises de convulsão.

Assista ao vídeo e saiba mais sobre o caso na reportagem do Fala Brasil:

 

  • Espalhe por aí:

Veja também

Todas as notícias

Vitrine de ofertas

Publicidade

Compartilhe
Meningite

Jovem prevê a própria morte e tuíta: "Acho que estou morrendo"

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Aparelho com defeito

Lábio de modelo “derrete” após erro de dentista: “Pareço um monstro”

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Alimento contaminado

Homem quase morre após ingerir comida japonesa contaminada com vermes

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Publicidade
Compartilhe
  • Últimas de Saúde

  • Últimas de Notícias

Compartilhe
Ebola

Mulheres que teriam morrido"ressuscitam" e causam medo e pânico na Libéria

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Superação

Mães não desistem de filhas com doença rara: "É uma luta que vale a pena"

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus

Guia Mais - Saúde

Farmácia/Drogaria
Hospitais
Consultórios
X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!