Ciência aumenta sobrevivência de prematuros

Em 2006, o número de crianças nascidas entre a 22ª e a 25ª semana de gestação que sobreviveram passou a ser de 53%

  • BBC BRASIL Saúde por BBC BRASIL
  • 05/12/2012 - 12h16 (Atualizado em 05/12/2012 - 12h40)
Chances de bebês extremamente prematuros eventualmente sofrerem sequelas como cegueira, paralisia cerebral e surdez não foram reduzidas
Chances de bebês extremamente prematuros eventualmente sofrerem sequelas como cegueira, paralisia cerebral e surdez não foram reduzidas BBC Brasil

Avanços na medicina britânica estão aumentando as chances de vida de bebês extremamente prematuros, segundo um estudo recém-divulgado.

Em 1995, um total de 40% dos bebês ingleses nascidos entre 22 e 25 semanas que foram tratados em unidades intensivas sobreviveram.

Em 2006, o número de crianças extremamente prematuras nascidas com entre 22 e 25 semanas de gestação que sobreviveram passou a ser de 53%.

OMS: a cada dez bebês, mais de um nasce prematuro

Mas o estudo não descobriu melhoras significativas no índice de sobrevivência de bebês nascidos com menos de 22 semanas de idade, o limite legal para a realização de aborto.

E as chances de bebês extremamente prematuros eventualmente sofrerem sequelas como cegueira, paralisia cerebral e surdez não foram reduzidas. Elas afetam um em cada cinco bebês.

Assista ao vídeo: