R7 - Notícias

Buscar no site
Eu quero um e-mail @R7
Esqueci minha senha

20 de Novembro de 2014

Você está aqui: Página Inicial/Notícias/Saúde/Notícias

Icone de Saúde Saúde

publicado em 07/06/2011 às 15h04:

Governo recomenda se vacinar contra sarampo e rubéola antes de viajar ao exterior

Doses estão disponíveis no SUS e devem ser aplicadas até 15 dias antes do embarque

Mariana Londres, do R7, em Brasília

Publicidade

O Ministério da Saúde recomendou nesta semana que os brasileiros que pretendem viajar ao exterior devem estar em dia com as vacinas contra o sarampo e a rubéola. A recomendação é indicada para pessoas até 39 anos e segue uma orientação da Opas (Organização Pan-Americana da Saúde), uma vez que os vírus causadores dessas doenças ainda circulam intensamente em diversos países do mundo. Quem tiver idade superior, não precisa tomar as vacinas.

O objetivo da recomendação, portanto, é proteger os viajantes, que ao sair do Brasil ficam expostos ao risco de se contaminar, e de evitar a reintrodução dessas doenças no país.

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), a Europa enfrenta atualmente uma epidemia de sarampo, com mais de 6,5 mil casos registrados em 33 países, principalmente na França, com quase 5.000 casos.

A recomendação também se estende para os turistas brasileiros que vão para os Estados Unidos e outros países das Américas, devido à grande circulação de turistas europeus no continente.

Segundo o Ministério da Saúde, é importante que os viajantes não vacinados recebam a vacina pelo menos 15 dias antes da partida.

A vacina tríplice viral, disponível na rede pública, é eficaz contra sarampo, rubéola e caxumba. Além disso, crianças que receberam a vacina tríplice viral entre os seis e 11 meses de vida devem ser revacinadas aos 12 meses de idade.

A campanha nacional de vacinação contra a pólio para crianças menores de seis anos, que começa em 18 de junho, terá este ano uma dose contra sarampo.

Apenas as pessoas que apresentam contraindicações médicas e crianças menores de seis meses de idade não devem ser vacinadas. Na dúvida, devem consultar um médico antes de se vacinar e podem obter o endereço e os horários de funcionamento das salas de vacinação junto à Secretaria de Saúde da cidade.

Medidas de saúde

Pessoas com suspeita de sarampo ou rubéola devem procurar o serviço de saúde mais próximo e evitar o contato com outras pessoas por sete dias, contados a partir do começo dos sintomas: como as manchas vermelhas na pele, sinal comum nas duas doenças.

O ministério orienta, ainda, que é extremamente importante que mesmo que todo o tratamento seja feito em hospital particular que o profissional de saúde notifique às autoridades locais de saúde a ocorrência de qualquer caso suspeito de sarampo ou rubéola.

Desde 2000, o país está livre da circulação autóctone do vírus do sarampo, isto é, o agente causador da doença não circula de maneira ampla no território nacional. Os casos, portanto, são 'importados'. Ou seja, um brasileiro que é contaminado fora do país e fica doente no retorno. No caso da rubéola, desde 2008 não há circulação autóctone do vírus.


 
Veja Relacionados:  rubéola, sarampo
rubéola  sarampo 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 

Fechar
Comunicar Erro

Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!

 

 


Shopping