R7 - Notícias

Buscar no site
Eu quero um e-mail @R7
Esqueci minha senha

23 de Abril de 2014

Você está aqui: Página Inicial/Notícias/Saúde/Notícias

Icone de Saúde Saúde

publicado em 24/08/2011 às 17h56: atualizado em: 31/08/2011 às 14h28

Médico adota capacete para tratar
assimetria da cabeça de bebês

Cerca de 12% das crianças nascem com plagiocefalia posicional

Do jornal Hoje em Dia

Publicidade

Os pais de Miguel Barros, hoje com 9 meses de idade, já haviam percebido uma certa assimetria na cabeça do filho mas só descobriram que isso poderia ser um problema quando o menino estava com 5 meses. Assistindo a um programa de televisão, a psicóloga Lívia da Silva e o marido, o técnico de manutenção Leonardo Barros, ficaram sabendo da plagiocefalia posicional, doença que deixa a cabeça do bebê torta e desproporcional. Além do prejuízo estético, pode haver consequências mais sérias, como dificuldade de aprendizado e, em casos mais graves, problemas de alinhamento dentário e duplicidade visual.

A partir do programa exibido na televisão, Lívia e Leonardo resolveram pesquisar as formas de tratamento para o problema. Pela internet, encontraram a Cranial Care, em São Paulo, que oferecia o serviço. A clínica é a primeira da América Latina a trabalhar com esse diagnóstico e a oferecer o tratamento desde o início deste ano. Até então, o tratamento só podia ser feito no exterior ou por meio de cirurgia.

Apesar de viverem no Rio de Janeiro, a distância não foi obstáculo para que Lívia e Leonardo levassem adiante o tratamento de Miguel. Já na primeira consulta foi confirmado o diagnóstico de plagiocefalia posicional. O tratamento começou com o uso de uma órtese, peça similar a um capacete, que se ajusta à cabeça do bebê mantendo-a na posição correta.

Miguel utilizava a órtese 23 horas por dia, tirando apenas para tomar banho e para a higiene do capacete. De 15 em 15 dias, os pais levavam a criança à clínica para o acompanhamento. Nessas consultas, eram feitos ajustes na peça para que o tratamento seguisse de forma adequada. A rotina de viagens durou quatro meses e, para o alívio dos pais, o tratamento foi concluído na semana passada.

Apesar das dificuldades e do custo, Lívia acredita que valeu a pena. O tratamento custou aproximadamente R$ 10 mil, além das despesas com viagem e hospedagem. A assimetria foi completamente corrigida. 

– É um valor muito alto mas o resultado foi excelente. Se você olhar hoje, não fala que o Miguel teve que usar o capacete.

Assim como Miguel, cerca de 12% das crianças nascem com algum tipo de assimetria na cabeça. Desse total, 3% merecem algum tipo de intervenção, e o restante regride naturalmente. Além disso, 54% das crianças gêmeas também nascem com assimetrias. Segundo o neurocirurgião e um dos fundadores da clínica Cranial Care, Gerd Schreen, a plagiocefalia posicional pode ocorrer por causa do posicionamento intrauterino, em função de um parto mais complicado e ou na gestação de gêmeos. Após o nascimento, a assimetria também pode se desenvolver pelo posicionamento viciado em uma região da cabeça do bebê, seja na hora de dormir ou pelo torcicolo congênito.

Órtese

O especialista em assimetria craniana Gerd Schreen explica, que ao chegar à clínica, a criança é submetida a uma avaliação que oferece todas as medidas do crânio e revela as assimetrias de maneira exata. Isso é feito por meio de um equipamento que escaneia o crânio do bebê de maneira indolor. Em seguida, as medidas são encaminhadas à Orthomerica, parceira da Cranial Care nos Estados Unidos, que vai criar uma órtese sob medida para a criança. O processo completo, entre envio das medidas e chegada do capacete ao Brasil, leva aproximadamente 15 dias. A partir de então o tratamento é iniciado.

O médica explica também que o capacete não gera nenhum desconforto ao bebê, já que é todo acolchoado e é ajustado a cada duas semanas para se adequar à cabeça da criança. 

– É bastante comum as pessoas acharem que dói, mas a órtese não traz incômodo à criança. Aliás, elas se adaptam muito bem. 

No caso de Miguel, Lívia conta que ele se acostumou muito rapidamente à órtese e sentiu falta quando o tratamento terminou. 

– O Miguel estranhou quando tiramos o capacete e a gente também, porque agora ele sai correndo e bate a cabeça em tudo. Então até a gente está sentindo falta do capacete.

Segundo o médico, a duração do tratamento com a órtese para a correção da plagiocefalia posicional varia entre três e cinco meses, de acordo com a idade e o grau de deformidade apresentado pelo paciente. No entanto, é fundamental que a assimetria seja identificada antes de a criança completar um ano e meio, como foi no caso de Miguel. Caso contrário, a órtese não pode mais corrigir a assimetria e, em alguns casos, é necessária a intervenção cirúrgica, que segundo o médico oferece grande risco.

Cranial Care

A clínica foi fundada em fevereiro deste ano e é a primeira da América Latina a oferecer o tratamento com a órtese para casos de plagiocefalia posicional. A iniciativa foi do especialista em assimetria craniana Gerd Schreen, que também teve uma filha com a doença. 

– O nome da doença era praticamente desconhecido para mim também. Quando veio o diagnóstico, junto com o alívio ao saber que não era nada mais sério, veio também a preocupação de o que fazer com aquilo.

Pela internet, o médico descobriu o tratamento com a órtese, que até então só era realizado nos Estados Unidos e em alguns países europeus. 

– Então, fomos ao Estados Unidos para tratá-la. Mudei com a família para lá. Ficava indo e vindo porque tinha que trabalhar. 

A partir daí, Schreen decidiu trazer o tratamento para o Brasil e fundou a clínica junto com o advogado Eduardo Aguirre, outro que enfrentou o problema. A clínica já atendeu aproximadamente 70 pacientes.


 
Veja Relacionados:  Saúde, bebê
Saúde  bebê 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 

Fechar
Comunicar Erro

Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!

 

 


Shopping
Blu-Ray Player Blu-Ray Pl Saraiva R$ 299,00
Blu-Ray Player Blu-Ray Pl Saraiva R$ 449,00
Fogão Fogão Mania Vi R$ 580,41
Monitor Monitor Wal-Mart R$ 348,00