R7 - Notícias

Buscar no site
Eu quero um e-mail @R7
Esqueci minha senha

20 de Dezembro de 2014

Você está aqui: Página Inicial/Notícias/Saúde/Notícias

Icone de Saúde Saúde

publicado em 24/07/2010 às 07h05:

Saiba quem deve tomar a vacina
contra o HPV e como ela funciona

Tipos disponíveis no mercado previnem contra câncer de colo de útero e verrugas genitais

Do R7

Publicidade

O HPV é a sigla em inglês para papiloma vírus humano. Este vírus tem mais de 200 tipos diferentes, capazes de provocar lesões de pele ou em mucosas pelo contato entre genitais e relações sexuais sem o uso de preservativo. Na maior parte dos casos, as lesões podem regredir espontaneamente, mas em outros podem causar lesões associadas ao câncer.

Os vírus que tem maior probabilidade de provocar lesões persistentes e que estão associados às lesões pré-cancerosas são os tipos 16, 18, 31, 33, 45, 58, entre outros. Já os HPV de tipo 6 e 11, encontrados na maioria das verrugas genitais, não costumam oferecer nenhum risco de progressão para se tornar maligno. Neste contexto, a vacina contra o HPV foi criada com o objetivo de prevenir a infecção e reduzir o número de pacientes que venham a desenvolver câncer de colo de útero.

Foram desenvolvidas duas vacinas contra os tipos mais presentes no câncer de colo do útero (HPV-16 e HPV-18), as duas comercializadas no mercado brasileiro.

Uma delas é quadrivalente, ou seja, previne contra os tipos 16 e 18, presentes em 70% dos casos de câncer de colo do útero e contra os tipos 6 e 11, presentes em 90% dos casos de verrugas genitais, fabricada pelo laboratório MSD, nos Estados Unidos. A outra é a bivalente, específica para os subtipos 16 e 18, fabricada na Bélgica pelo laboratório GSK. 

Segundo a infectologista pediatra Lily Yin Weckx, da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), a mulher deve tomar três doses da vacina para ficar imunizada – a segunda depois de dois meses da primeira e a terceira depois de seis meses da segunda.

Questionada sobre o tempo de eficácia da vacina, a médica explica que ainda não se sabe ao certo, mas os laboratórios garantem que a imunidade vale por anos e que não há necessidade de dose de reforço.

Mas mesmo vacinada, a mulher deve continuar a fazer visitas de rotina ao ginecologista que, por meio de exames de rotina, consegue detectar possíveis infecções genitais e mesmo a incidência de cânceres como o de colo de útero.

A vacina é também indicada para mulheres e homens que já tiveram contato com o vírus, afirma Lily.

- Como existem vários tipos de vírus do HPV, por mais que ela já tenha contraído um, pode se proteger contra outros que ela tenha contato no futuro.

Veja Relacionados:  vacina HPV
vacina HPV 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 

Fechar
Comunicar Erro

Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!

 

 


Shopping