R7 - Notícias

Buscar no site
Eu quero um e-mail @R7
Esqueci minha senha

27 de Maio de 2016

Você está aqui: Página Inicial/Notícias/Saúde/Notícias

Icone de Saúde Saúde

publicado em 26/07/2012 às 09h21:

SUS fornecerá 2 novos remédios contra hepatite C a partir de 2013

As drogas deverão ser usadas por pacientes portadores de cirrose e fibrose avançadas

Agência Estado

Publicidade

Dois novos remédios serão fornecidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) para pacientes com hepatite tipo C a partir do próximo ano. As drogas - telaprevir e boceprevir - são de uma nova geração de medicamentos, os inibidores de proteases, e deverão ser usadas por pacientes portadores de cirrose e fibrose avançadas.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, em torno de 5,5 mil pessoas estão nesse grupo de maior risco de progressão da doença e poderão ser tratadas pelo novo coquetel de remédios.

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, afirmou que a adoção das novas drogas no tratamento de casos graves permitirá dobrar as chances de um paciente se curar. O telaprevir e o boceprevir têm uma taxa de eficácia de 80% ante os 40% de sucesso do tratamento utilizado atualmente com a associação de dois medicamentos, o interferon peguilato e a ribavirina. Os remédios, segundo o ministro, são indicados para o combate ao vírus classificado como "genótipo 1". Durante cerimônia nesta quarta-feira (25) do Dia Mundial de Luta contra Hepatites Virais, o ministro afirmou:

— Estamos possibilitando para os brasileiros atendidos pelo SUS a oportunidade de passar a receber o de melhor para o tratamento de doenças virais.

Dados apresentados pelo Ministério da Saúde apontam a existência em torno de 1,5 milhão de pessoas infectadas pela hepatite C no Brasil. Esse tipo de hepatite, ainda segundo informações do Ministério, é responsável por 70% das hepatites crônicas, 40% dos casos de cirrose e 60% dos cânceres primários de fígado.

O Ministério está desenvolvendo uma campanha com ênfase na necessidade de se ter o diagnóstico precoce da doença em conjunto com a prevenção.

— É uma doença silenciosa e, muitas vezes, o diagnóstico é tardio. A grande prioridade é rompermos o silêncio.

O período entre a infecção pelo vírus até a fase da cirrose hepática pode levar de 20 a 30 anos, sem que a pessoa apresente sintomas da doença. Como forma de mobilização em torno do tema, o Ministério lançou um concurso voltado aos tatuadores e às manicures para incentivar práticas de prevenção contra a doença em salões de beleza e estúdios de tatuagem.

 

Quer ler mais notícias? Clique aqui
Leia mais notícias de Tecnologia no R7
Leia mais notícias de Saúde no R7
Faça seu e-mail @R7. É grátis!
Venha para o R7 Banda Larga!

 
Veja Relacionados:  hepatite
hepatite 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 

Fechar
Comunicar Erro

Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!

 

 


Shopping