R7 - Notícias

Buscar no site
Eu quero um e-mail @R7
Esqueci minha senha

1 de Novembro de 2014

Você está aqui: Página Inicial/Notícias/Saúde/Notícias

Icone de Saúde Saúde

Sexo Saude

publicado em 22/05/2010 às 21h05:

Tire suas dúvidas sobre
dificuldade de ereção na juventude

Problemas emocionais, físicos e sedentarismo podem ser as causas

Camila Neumam, do R7

Dificuldade de ter ereção não é apenas um problema que pode ocorrer com homens mais velhos. Jovens que, até então, deveriam estar em sua plena capacidade sexual, também sofrem com ela por diferentes fatores, sejam emocionais ou físicos.

Segundo o chefe do Departamento de Andrologia da SBU (Sociedade Brasileira de Urologia), Otto Chaves, a parte emocional conta muito nestas situações, pois pode soar como cobrança por grande desempenho.

- Estas disfunções ocorrem principalmente pela iniciação sexual inadequada, uso de fantasias sexuais, discórdias conjugais e parceiras altamente competitivas.

O urologista Cássio Andreoni, especialista em Saúde do Homem, do Hospital Albert Einstein, reforça a ideia, vinculando a questão com a ejaculação precoce, outro pesadelo dos homens.

- Se fomos olhar de uma forma global, há muita cobrança em cima do jovem e a iniciação sexual pode ser traumática. Até quando ocorre ejaculação precoce, em 70% das situações é de origem psicológica. 

No entanto, há casos nos quais a origem do problema é realmente física, isto é, congênita (desde o nascimento) ou causada por doenças, conforme explica o andrologista Ricardo Caniato, especialista em disfunção erétil diretor-geral das clínicas Promen.

- No jovem existe disfunção erétil grave. Quem tem diabetes tipo 1, a doença pode estragar a circulação do pênis e atrapalhar a quantidade de sangue que entra para manter a ereção. O uso da finasterida (remédio para queda de cabelo) e remédios para baixar a pressão também podem alterar a ereção.

Caniato afirma também que o sedentarismo, obesidade, má alimentação, abuso de álcool, cigarro e drogas também contribuem para a dificuldade de ter uma ereção prolongada.

Abaixo, veja a série de perguntas e respostas sobre o tema respondidas pelos médicos.

1- Como ocorre a ereção?
A ereção é um processo que depende de um estímulo de um neurotransmissor, no caso o oxido nítrico, que atua provocando um relaxamento das fibras no corpo cavernoso, permitindo um maior fluxo sanguíneo arterial que leva ao aumento da pressão intracavernosa, promovendo a rigidez do pênis. Este evento é fisiológico, mas, depende do estímulo sexual que pode ser afetado psicologicamente.

2- O que é ejaculação precoce?
A ejaculação e o orgasmo são eventos fisiológicos independentes e ainda não completamente esclarecidos. O primeiro é um conjunto de contrações musculares que permite que o sêmen seja expelido pela uretra ao final da atividade sexual e na maioria das vezes coincide com o orgasmo. A ejaculação prematura “precoce” pode eventualmente estar associada à outra disfunção sexual, onde o fator ansiedade está sempre presente.

3- Como ter certeza se é um problema de saúde?

A única maneira de ter esta certeza é o rapaz procurar um urologista para que o diagnóstico seja feito e as orientações serem realizadas. Porque, apesar de, a maioria dos casos ter origem emocional, a falta de ereção no jovem pode ser de origem congenital e/ou anatômica. O mais comum é o derrame venoso ou fulga venosa, quando o sangue não é mantido dentro do pênis e o homem não consegue manter uma ereção. Ele pode nascer com essa disfunção.

4- Como tratar problemas de ereção e ejaculação precoce nos jovens? Tem diferença se comparado ao tratamento do adulto?

Sim. O caminho é procurar um profissional de saúde da área que irá diferenciar os problemas de ejaculação precoce do jovem e do adulto bem como as alterações da ereção recomendando o tratamento adequado a cada caso. Alguns pacientes necessitarão de uma orientação de um sexólogo e outros um tratamento urológico.

Há pelo menos quarto graus de disfunção erétil, que são avaliados pelo médico. Durante a consulta ao urologista, o médico vai entrevistá-lo para detectar a origem do problema, ou seja, saber se está tomando algum medicamento, se tem doenças que causam problema de ereção, perguntar sobre sua vida sexual e conjugal e pedir um ultrasson do pênis para analisar a área e exame de sangue para medir taxas hormonais.

Considerado algum problema físico, o urologista ou o andrologista receitará remédios controlados para melhorar a circulação da região pélvica. Todos estes medicamentos só podem ser adquiridos com receita médica.

Descartada qualquer hipótese fisiológica, parte-se para o tratamento psicológico orientado pelo próprio andrologista ou por um psicólogo especializado em sexualidade. Vale lembrar que apenas 25% dos homens procuram ajuda, o que geralmente agrava a parte psicológica. Alguns ficam depressivos. Portanto, deve-se também tratar a depressão nestes casos.

5- A origem do problema de ereção do jovem é diferente da do adulto/idoso?

Nos pacientes mais idosos a idade é um dos fatores para o aparecimento e piora da ereção, associado a doenças do envelhecimento (hipertensão, diabetes, obesidade, sedentarismo, tabagismo, alcoolismo, etc.). Já no jovem, estas disfunções acontecem principalmente pela iniciação sexual inadequada, discórdias conjugais e parceiras altamente competitivas. Trabalhos recentes sugerem que alguns pacientes podem apresentar uma deficiência do controle ejaculatório em nível cerebral. Estes estudos ainda não estão confirmados.

6- Estes jovens podem recorrer ao Viagra se se sentirem inseguros? Podem fazer isso com frequência?

A indicação de tratamento medicamentoso para pacientes com disfunção erétil só deve ser realizada sob orientação médica e está indicada apenas quando existe um problema orgânico, desencadeando o problema. A automedicação traz riscos e pode criar dependência.

7- A parceira (ou parceiro) pode ajudar quem sofre destes problemas?

O casal que vivencia problemas de ordem sexual deve ser atendido em conjunto, pois frequentemente a (o) parceira (o) também necessita de orientação e pode auxiliar o parceiro no seu tratamento.

Veja Relacionados:  problemas de ereção, disfunção erétil
problemas de ereção  disfunção erétil 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 

Fechar
Comunicar Erro

Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!

 

 


Shopping