Saúde

27/2/2013 às 08h39

São Paulo faz PPP de R$ 3 bi para medicamentos

Agência Estado

A distribuição gratuita de remédios na rede pública de saúde de São Paulo deve mudar de mãos pelos próximos 20 anos. O governo planeja modificar a logística de medicamentos e transferir o serviço da Secretaria de Estado da Saúde (SES) para empresas. Para isso, prepara uma Parceria Público-Privada (PPP) que teve propostas iniciais de custos estimados pelo mercado em quase R$ 3 bilhões.

Ao todo, 12 empresas e consórcios registraram interesse em assumir a assistência farmacêutica, adotando sistema integrado às Redes Regionais de Atenção à Saúde. O vencedor atuará da armazenagem, transporte, distribuição e monitoramento online de estoques à distribuição dos remédios das prateleiras aos pacientes.

Em duplas, quatro empresas haviam manifestado interesse antes: Bomi Farma e Logimed apresentaram valores iniciais estimados em R$ 160 milhões para investimentos em infraestrutura e valor anual de operação de R$ 150 milhões (R$ 3 bilhões ao longo dos 20 anos); JSL e BF Capital disseram que investiriam R$ 150 milhões e teriam operação calculada em R$ 115 milhões (ou R$ 2,3 bilhões por 20 anos).

Apesar das estimativas, o valor a ser pago ao vencedor da concorrência como contrapartida pelos serviços logísticos ainda não está definido. O montante será divulgado apenas quando o modelo final da PPP for escolhido, disse a Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Regional.

Antes, a PPP passará por audiência pública e avaliação de estudos aprofundados sobre o modelo de negócio. Os documentos devem ser entregues pelas 12 empresas. Depois será publicado o edital. O governo prevê concluir a PPP, inédita, até o fim do ano.
Questionada pelo jornal O Estado de S. Paulo, a SES não informou qual será a economia propiciada aos cofres públicos pela concessão do serviço à iniciativa privada - uma das justificativas para a escolha parceria. “Em virtude de a PPP estar na fase de cadastro de empresas interessadas, a informação ainda não está disponível”, disse a secretaria.

O Conselho Gestor das PPPs considera vantagens da concessão “a redução de custos e a maior agilidade para prover remédios”. A SES cita outros benefícios ao governo: “Diminuição da possibilidade de desvios e roubos e a redução das perdas por prazo de validade e armazenamento inadequado”. Mas ainda calcula qual o índice de desperdício atual.

Sistema

Na prática, a empresa vencedora da PPP deverá abrir 12 centros de armazenagem no Estado - e, em cada uma das 645 cidades paulistas, uma farmácia integrada que reúna todos os tipos de remédios gratuitos fornecidos num só local. A lista abrange, por exemplo, medicamentos do programa Dose Certa (como amoxicilina e captopril), fármacos estratégicos contra aids e dengue, e especializados contra glaucoma e esquizofrenia, além dos indicados por demanda judicial.

Hoje, a depender da doença, o paciente deve ir a diferentes locais de distribuição do Sistema Único de Saúde (SUS). A SES coordena 270 farmácias e 2,9 mil pontos de entrega, que distribuem anualmente 34,8 bilhões de medicamentos ao custo estimado de R$ 4,8 bilhões.

O concessionário abastecerá as farmácias dos hospitais das clínicas das faculdades de Medicina da USP, de Botucatu, de Marília, da Unicamp e de Ribeirão Preto. O governo quer “melhorar a qualidade e humanizar o atendimento”, “fidelizar a uma farmácia” e “aumentar a segurança no uso dos remédios” dos 570 mil pacientes. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


  • Espalhe por aí:

Veja também

Todas as notícias

Vitrine de ofertas

Compartilhe
Meningite

Jovem prevê a própria morte e tuíta: "Acho que estou morrendo"

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Aparelho com defeito

Lábio de modelo “derrete” após erro de dentista: “Pareço um monstro”

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Alimento contaminado

Homem quase morre após ingerir comida japonesa contaminada com vermes

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Publicidade
Compartilhe
  • Últimas de Saúde

  • Últimas de Notícias

Compartilhe
Ebola

Mulheres que teriam morrido"ressuscitam" e causam medo e pânico na Libéria

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Superação

Mães não desistem de filhas com doença rara: "É uma luta que vale a pena"

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus

Guia Mais - Saúde

Farmácia/Drogaria
Hospitais
Consultórios
X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!