Teste rápido para dengue e chikungunya passa a ser oferecido pelo SUS

Qualquer pessoa que apresente os sintomas poderá fazer o teste

O teste rápido estará disponível pelo SUS
O teste rápido estará disponível pelo SUS Alberto Coutinho/GOVBA

O teste rápido para detecção de dengue e chikungunya passou a integrar os procedimentos do SUS (Sistema Único de Saúde), de acordo com portaria publicada no DOU (Diário Oficial da União) desta quinta-feira (10). Transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, as doenças podem ser confundidas por terem sintomas semelhantes, como febre alta, dor de cabeça e dores musculares.

Os Estados e municípios vão receber dois milhões de testes rápidos para detectar dengue e um milhão para detecção de chikungunya. Pessoas de qualquer idade que apresentem os sintomas e tenham o cartão SUS poderão realizar o teste que, além de permitir o diagnóstico precoce, vai oferecer mais precisão aos dados epidemiológicos sobre a circulação dos vírus no País.

Para o vírus da zika, o teste rápido já está disponível no SUS e é voltado para gestantes e crianças de até um ano de idade. O procedimento verifica se o paciente está com o vírus em atividade ou se ele já foi infectado em algum momento da vida. O resultado sai em 20 minutos.

Eficácia de teste rápido para zika vírus não está devidamente comprovada, dizem especialistas

Casos

Entre 1º de janeiro e 24 de junho deste ano, foram registrados 192.123 casos prováveis de dengue e 57 óbitos foram confirmados no País, segundo o Ministério da Saúde.

De chikunkunya, foram 131.749 casos prováveis, dos quais 66.576 foram confirmados, e 51 óbitos foram confirmados por exames laboratoriais. Outros 34 ainda estão em investigação. Em todo o ano passado, foram registrados 1.483.623 casos prováveis de dengue e 230.410 de chikungunya.

Planos são obrigados a cobrir testes rápidos de dengue e chikungunya