R7 - Notícias

Buscar no site
Eu quero um e-mail @R7
Esqueci minha senha

1 de Agosto de 2014

Você está aqui: Página Inicial/Notícias/Tecnologia e Ciência/Notícias

Icone de Tecnologia e Ciência Tecnologia e Ciência

publicado em 12/04/2011 às 05h55:

Primeira viagem do homem ao espaço faz 50 anos

Yuri Gagarin deu a volta na órbita da Terra em 89 minutos em 12 de abril de 1961

Do R7

Publicidade

Há 50 anos, aos 27 anos de idade, Yuri Alekseievitch Gagarin se tornava o primeiro homem no espaço. Gagarin entrou para a história no dia 12 de abril de 1961, ao dar a volta na órbita da Terra em 89 minutos - o tempo total da viagem foi de 1 hora e 48 minutos - a bordo da cápsula Vostok. Ele estava sendo treinado como um cosmonauta havia 1 ano e 29 dias, mas, apenas nos dois últimos meses, soubera que seria o primeiro homem a chegar ao espaço.

Conheça os bastidores da missão

Vídeo: veja como foi a viagem

Fotos: a trajetória de Yuri Gagarin

Durante o voo, o cosmonauta disse duas frases que entrariam para a história. Uma de surpresa: 

- A Terra é azul. 

A outra, que só um bom comunista ousaria dizer: 

- Olhei para todos os lados, mas não vi Deus. 

Gagarin foi promovido de tenente a major enquanto ainda estava em órbita. Foi com essa patente que a agência de notícias soviética Tass anunciou o espetacular feito ao mundo, que entrava na Era Espacial a partir daquele momento.  

Corrida espacial

A ida à Lua sempre foi um sonho do homem. Com a derrota da Alemanha na Segunda Guerra Mundial, os Estados Unidos e a URSS (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas) capturaram a maioria dos engenheiros que trabalharam no desenvolvimento do foguete V-2. 

A exploração espacial começou mesmo com o lançamento do satélite artificial Sputnik pela URSS em 4 de outubro de 1957, no Cosmódromo de Baikonur (base de lançamento de foguetes da URSS), em Tyuratam, no Cazaquistão.

O Sputnik provocou uma corrida pela conquista do espaço entre a URSS e os EUA, que acabaria com a chegada do homem à Lua. No entanto, o primeiro ser vivo no espaço não foi um homem, mas a cadela russa Laika, que subiu ao espaço em 3 de novembro de 1957 a bordo do Sputnik 2.

O lançamento do Sputnik e a ida do primeiro homem ao espaço se devem bastante ao talento de Serguei Korolev, engenheiro-chefe do programa espacial soviético. Foi ele quem convenceu Nikita Khruchev, na época o líder da URSS, a investir no programa. E foi dele também a ideia de levar, realmente, homens à Lua.

gagarin

Símbolo do comunismo

Para o povo soviético, Gagarin se tornaria um símbolo do que o comunismo era capaz, pois se ele podia ser o homem mais famoso do mundo, então o regime político funcionava. O feito de Gagarin provocou um grande medo na sociedade americana: se os soviéticos podiam levar um homem ao espaço, podiam ter armas poderosas. 

Alguns países em desenvolvimento diziam que o sucesso soviético no espaço sugeria que o sistema comunista era superior. Um dia após o voo, o jornal americano Washington Post pediu uma mobilização de guerra para vencer os soviéticos.

Famoso ainda hoje na Rússia, Gagarin foi escolhido pelo poder para encarnar o modelo do homem soviético, especialmente por suas modestas origens camponesas. Morto em 1968, ele é um dos raros heróis nacionais cuja imagem não sofreu com a queda da União Soviética no fim de 1991, e continua sendo ainda hoje para os russos a personalidade mais atraente do século 20. 

Suas origens populares - um pai carpinteiro e uma mãe camponesa - jogaram a favor de sua candidatura para se tornar o primeiro homem no espaço, frente a seu rival Gherman Titov, que vinha de uma família de professores, mas cuja desvantagem era o nome germânico, segundo seus biógrafos. 

Nascido em março de 1934 em um povoado perto de Smolensk (oeste), depois de uma infância difícil marcada pela guerra e pela ocupação nazista, Gagarin trabalhou primeiro como metalúrgico. 

"Sua trajetória foi parecida com a de qualquer de seus milhões de concidadãos", conta Lev Danilkin, autor de uma monografia sobre o cosmonauta, publicada na semana passada. 

Apaixonado por aviação, o jovem Gagarin se inscreveu em uma escola militar e assumiu pela primeira vez o comando de um avião em 1955. Quando, em um dia de outono de 1959, uma comissão selecionava voluntários para pilotar um "tipo moderno de aeronave", sua baixa estatura – de apenas 1,60 m -, jogou a seu favor. 

Origem humilde

Vinte candidatos começaram um treinamento de um ano em um centro secreto de Moscou. Com o passar do tempo, não restaram mais de 12, e logo seis, entre eles, Gagarin. Esse homem loiro, de olhos azuis e sorriso quase infantil ganhou a simpatia de seus colegas, e em especial a de Serguei Korolev, pai da astronáutica soviética. "Gagarin não era um líder, mas era amigo de todos, e Korolev o tratou como um filho", lembra o cosmonauta Boris Volynov. 

Em 1961, Gagarin é designado para realizar o primeiro voo do homem ao espaço, programado para 12 de abril. Naquela época, tinha 27 anos e era casado com Valentina, uma enfermeira que acabava de dar à luz uma segunda filha. A missão era perigosa: de 48 cães enviados ao espaço pela União Soviética, 20 tinham morrido. Mas "todos sonhavam em ir no lugar dele", disse Volynov. 

Após o feito, Gagarin tornou-se instantaneamente uma celebridade soviética e mundial e passou a viajar pelo mundo promovendo a tecnologia espacial do seu país, sendo recebido como herói por reis, rainhas, presidentes e multidões por onde passava. No Brasil, foi recebido e condecorado, pelo então presidente Jânio Quadros, com a Ordem do Cruzeiro do Sul.

Recebido de forma triunfal em todo o mundo, Gagarin completou sua missão diplomática perfeitamente, demonstrando, segundo as testemunhas, uma simplicidade absoluta. Durante um jantar, recebeu um sorriso da rainha da Inglaterra ao admitir que não sabia com qual garfo poderia se servir. 

Da fama à bebida

A fama e a popularidade começaram a afetar a personalidade dos cosmonauta. Empolgado com a popularidade, Gagarin passou a beber com frequência, o que afetou seu casamento e causou um acidente na Crimeia, em companhia de uma jovem enfermeira, em outubro de 1961. 

A partir de 1962, o cosmonauta ocupou o cargo de deputado no Soviete Supremo da União Soviética até voltar à Cidade das Estrelas, o centro espacial soviético, para trabalhar no projeto de novas espaçonaves. 

Herói nacional com todos os privilégios, Gagarin passava horas ao telefone para conseguir um remédio, um lugar no hospital ou um tíquete para o teatro Bolshoi para seus diversos amigos, lembra Volynov. 

Gagarin sonhava em ir à Lua, mas o destino tinha decidido outra coisa. Muito querido pelas autoridades soviéticas, permaneceu um longo tempo proibido de pilotar antes de obter autorização. Depois de vários anos afastado, dedicado apenas ao programa espacial, Gagarin voltou ao curso de treino de pilotos, para uma requalificação como piloto nos novos caças MiG da Força Aérea. 

Em 27 de março de 1968, durante um voo de treino de rotina sobre a localidade de Kirzhach, ele e o instrutor de voo Vladimir Seryogin morreram na queda do MiG-15 que pilotavam, num acidente nunca explicado. Um inquérito de 1986 sugere que a turbulência de um avião interceptador Sukhoi Su-11 pode ter feito o avião de Gagarin sair do controle.

O sorriso tímido de Gagarin, que um dia já decorou as paredes da estação espacial Mir, foi dado numa época em que o espaço era usado para servir aos militares e para aumentar o prestígio do país. 

No entanto, para o cosmonauta Anantoly Solovyov, "toda a humanidade ganhou com a conquista de Gagarin, que aproximou todas as pessoas do planeta".

Veja Relacionados:  Yuri Gagarin, espaço, 50 anos
Yuri Gagarin  espaço  50 anos 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 

Fechar
Comunicar Erro

Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!

 

 


Shopping