Bahia Baiano inicia em Salvador turnê mundial do documentário 'Resiliência'

Baiano inicia em Salvador turnê mundial do documentário 'Resiliência'

Documentário será apresentado gratuitamente nos dias 15, 21 e 22 de janeiro

Baiano inicia em Salvador turnê mundial do documentário 'Resiliência'

O documentário tem em apresentação gratuita durante o V Festival Internacional de Capoeiragem

O documentário tem em apresentação gratuita durante o V Festival Internacional de Capoeiragem

Divulgação

No dicionário, resiliência é uma combinação de fatores que propiciam ao ser humano condições para enfrentar e superar problemas e adversidades. Na vida real, ela tem nome: Sidney Santos ou Meia Lua, como é conhecido. Ele é o personagem principal do documentário Resiliência, do cineasta baiano radicado na Suécia, Ricardo Koanuka, que retrata, entre outras coisas, o poder da capoeira no processo de inclusão social de Sidney. O resultado será apresentado aos baianos nesta sexta-feira (15), em evento para convidados, no Ciranda Café, no bairro do Rio Vermelho, em Salvador, às 20h, seguido de debate e show da banda Morena Dub.          

Leia mais notícias no R7 BA

Experimente grátis: todos os programas da Record na íntegra no R7 Play

Além da mostra para convidados, o documentário também poderá ser conferido nos dias 21 e 22 de janeiro, em apresentação gratuita durante o V Festival Internacional de Capoeiragem, no Forte da Capoeira, localizado no bairro do Santo Antonio Além do Carmo, em Salvador, que atrai pessoas de mais de 15 nacionalidades. Segundo o cineasta, o objetivo é valorizar a cultura da inclusão por meio da capoeira.         

— Nossa participação nesse festival, que é o maior evento de capoeira do mundo, é um reconhecimento a esse público. 

Documentário – Com 27 minutos de duração, Resiliência foi rodado em Salvador, entre os anos de 2012 e 2014, com edição e finalização na Suécia, no ano passado, além de contar com o apoio da produtora Christina Wallin.  O doc conta a história de um homem que, apesar de todas as dificuldades reais que a vida lhe impôs, enfrentou todos os obstáculos com resiliência. 

Salvador, Cidade Negra – O documentário também nos mostra as ruas de Salvador, pontos turísticos como Pelourinho e Mercado Modelo, a Feira de São Joaquim e o bairro de São Caetano, seguindo a rotina de trabalho do personagem, que percorre os ônibus da capital comercializando produtos. 

O personagem – Meia Lua, 38 anos, é casado, tem dois filhos, sendo um adotivo, é vendedor ambulante e morador do bairro de São Caetano. Paraplégico, Sidney nasceu sem deficiência, porém, aos dez meses de idade, ao lhe aplicarem uma injeção na coluna, ficou paraplégico. Ao longo do tempo, desenvolveu uma técnica própria de andar, tornou-se mestre de capoeira e vendedor ambulante. 

Sobre o cineasta – Cineasta, life coach e professor de capoeira, há sete anos o soteropolitano Ricardo Koanuka resolveu mudar de vida e viver fora do Brasil. Em Salvador, trocou seu emprego em uma empresa norueguesa para levar o seu trabalho como professor de capoeira para a Suécia. 

Serviço

O quê: Turnê mundial do documentário Resiliência, do baiano-sueco Ricardo Koanuka

Quando e onde: dia 15 de janeiro (às 20h no Ciranda café, no Rio Vermelho), e nos dias 21 e 22 de janeiro (Festival Internacional de Capoeira, no Forte da Capoeira, localizado no bairro do Santo Antonio além do Carmo)

Veja o trailer: no site