Eleições 2018
Brasil 370 municípios já têm reforço de forças federais para as eleições

370 municípios já têm reforço de forças federais para as eleições

Designações mais recentes foram aprovadas nesta terça-feira e vão beneficiar os estados do Ceará e Mato Grosso do Sul

Agentes de segurança vão garantir a segurança das Eleições

Agentes de segurança vão garantir a segurança das Eleições

Lucas Lacaz Ruiz/Fotoarena/Folhapress - 29.9.2014

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) já aprovou o envio de forças federais para garantir a segurança durante as eleições em 370 municípios de sete estados diferentes. A corte deu aval ao envio de tropas para o Piauí (112 localidades), Ceará (5), Mato Grosso do Sul (4), Rio Grande do Norte (97), Maranhão (72), Rio de Janeiro (69) e Acre (11).

As designações mais recentes de agentes de segurança foram aprovados na noite desta terça-feira (11). O TSE determinou o envio de forças federais para de outubro em nove municípios — quatro de Mato Grosso do Sul e cinco do Ceará.

Entre os municípios cearenses que receberão reforço na segurança, estão Fortaleza e Sobral, berço político do candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes. Em Mato Grosso do Sul, vão receber tropas Amambaí, Paranhos, Caarapó e Ponta Porã.

Segundo o tribunal, a missão das tropas é "assegurar o livre exercício do voto, mantendo a normalidade no dia do pleito, e garantir a apuração dos resultados das eleições nas localidades em que a segurança pública dos Estados necessita de reforço".

Ministério da Defesa

De acordo com a assessoria do TSE, caberá ao Ministério da Defesa planejar a logística e definir quais das três forças (Exército, Aeronáutica ou Marinha) será usada em cada caso.

O TSE também aprovou o envio de militares para dar apoio logístico à Justiça Eleitoral. Até o momento, 101 localidades em regiões isoladas do País já têm garantido esse auxílio. Quatro delas estão no Estado de Mato Grosso do Sul. As outras 97 localidades situam-se em quatro Estados da Região Norte — Acre (41 localidades), Amazonas (25), Amapá (5) e Roraima (26). Em todos esses locais, os militares atuarão levando equipamentos (urnas e outros materiais).

Em maio, os ministros do TSE aprovaram uma alteração na Resolução n.º 21.843/18, que dispõe sobre a requisição de força federal. Após aprovadas pelo tribunal, as solicitações são encaminhadas ao Ministério da Defesa, responsável pelo planejamento e execução das ações das Forças Armadas.