Brasil 'A boa reforma é a aprovada', afirma Bolsonaro sobre a Previdência

'A boa reforma é a aprovada', afirma Bolsonaro sobre a Previdência

Presidente prevê que Câmara e Senado analisem caso ainda no primeiro semestre e pede que proposta não seja 'desidratada' como na Argentina

jair bolsonaro, bolsonaro

Bolsonaro quer reforma diferente da Argentina

Bolsonaro quer reforma diferente da Argentina

Alan Santos/PR - 11.03.2019

O presidente Jair Bolsonaro disse, nesta quarta-feira (13), em café com jornalistas no Palácio do Planalto, que confia na aprovação da reforma da Previdência ainda no primeiro semestre. Ele admite que podem acontecer mudanças na proposta inicial.

“Alguma coisa vai ser mexida para aprovar. A boa reforma é a aprovada”, disse. Quando perguntado sobre quais podem ser as mudanças do texto da reforma, o presidente preferiu não entrar em detalhes.

No primeiro café com jornalistas, que aconteceu no dia 28 de fevereiro, o presidente chegou a sugerir a mudança de idade mínima das mulheres de 62 para 60 anos.

Jair Bolsonaro defendeu que não sejam feitas mudanças muito grandes no texto inicial. “Não pode ser a reforma desidratada da Argentina. O Brasil entra em colapso em dois, três anos, assim como a Grécia e Portugal”, afirmou.

O presidente está otimista de que a reforma será aprovada nas duas Casas, Câmara e Senado, ainda no primeiro semestre deste ano. A avaliação dele é que no Senado o cenário será mais favorável.

“No Senado, vai ser mais fácil porque ali há muitos ex-governadores que sabem a importância da reforma da previdência. Devemos até ter votos do PT”, disse.

Durante a conversa com jornalistas, o presidente também falou que pretende mudar o embaixador do Brasil em Washington depois da viagem que fará aos Estados Unidos para encontrar o presidente Donald Trump. “Será trocado com certeza porque não está vendendo uma boa imagem do Brasil no exterior”, confirmou o presidente. Entre os temas que irá tratar com o presidente norte-americano, Bolsonaro adiantou a bitributação e a base de Alcântara, no Maranhão.

O presidente disse ainda que espera agilidade nas investigações sobre o esquema de candidaturas laranjas do PSL envolvendo o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio.

“Assim que tiver o primeiro parecer da Polícia Federal e ficar comprovada qualquer irregularidade, eu vou chamar meus ministros, e o General Augusto Heleno, e vamos tomar uma decisão. Não podemos deixar sangrar o governo”, disse Bolsonaro.