Novo Coronavírus

Brasil 'A vacina é do Brasil, não é de nenhum governador', diz Bolsonaro

'A vacina é do Brasil, não é de nenhum governador', diz Bolsonaro

Em conversa com apoiadores, presidente afirmou que se a Anvisa aprovou imunizante, não tem o que se discutir mais

  • Brasil | Do R7

Resumindo a Notícia

  • Presidente afirmou que CoronaVac é uma vacina de todo o país
  • Ontem, a Anvisa aprovou a CoronaVac e a vacina de Oxford
  • Bolsonaro voltou a dizer que governo do Amazonas é o culpado por caos no Estado
Falta de oxigênio é culpa do governo do Amazonas, diz Bolsonaro

Falta de oxigênio é culpa do governo do Amazonas, diz Bolsonaro

Youtube/Divulgação

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (18) que a CoronaVac é uma vacina do Brasil, não do governador de São Paulo, João Doria (PSDB).

"Apesar da vacina. Apesar, não, a Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária} aprovou não tem o que discutir mais...", afirmou o presidente no início de sua conversa com os apoiadores. "Está liberada a aplicação no Brasil. A vacina é do Brasil, não é de nenhum governador, não, é do Brasil", completou.

A CoronaVac, desenvolvida pelo Instituto Butantan e pela farmacêutica Sinovac para combater a pandemia de covid-19, foi aprovada pela Anvisa, que também liberou o uso emergencial no país do imunizante da Universidade de Oxford.

Minutos após a aprovação, João Doria apareceu ao lado da primeira brasileira vacinada, em São Paulo.

Na conversa com seus fãs, Bolsonaro também voltou a dizer que os problemas vistos no Amazonas são culpa do governo estadual, não do federal. "Enviamos bilhões aos Estados", observou o presidente.

Manaus e outras cidades do Estado têm registrado mortes de pacientes de covid e de outras enfermidades por falta de oxigênio. Cilindros e aviões com o gás estão sendo enviados à região para tentar minimizar o problema. 

Abatido, o presidente não quis se estender no assunto da vacinação e aproveitou a passagem pelo cercadinho para criticar novamente a imprensa e a esquerda,  além de falar mal da Argentina por ter aprovado recentemente o aborto. 

'Questões ridículas" do Enem

Bolsonaro aproveitou a parada ao lado dos fãs para falar mal das questões do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) aplicadas no último fim de semana.

Confira o gabarito extraoficial da prova de hoje do Enem

"Você vê as provas do Enem. O banco de questões não é do meu governo, é de governos anteriores. Tem questões ali ridículas ainda. Comparando mulher e homem jogando futebol: por que a Marta ganha menos que o Neymar. Não tem comparação, o futebol feminino não é uma realidade no Brasil."

"Fazem umas questões absurdas sempre pregando igualdade, mas por baixo."

Bolsonaro afirmou também que aceitaria oxigênio fornecido por Nicolás Maduro, presidente da Venezuela, caso fosse verdadeira a notícia veiculada recentemente. "Mas ele podia dar auxílio emergencial lá, né."

De acordo com o presidente, não existe mais cachorro na Venezuela porque a população comeu todos os animais.

Ele criticou o apoio de setores de esquerda a Maduro. "Por que que sucatearam as Forças Armadas nos últimos vinte anos? Por que nós, militares, somos o único obstáculo para o socialismo. Não tem ditadura onde as Forças Armadas não apoiem."

Últimas