Reforma da Previdência
Brasil Acordo prevê mudanças para policiais, a pedido de Bolsonaro

Acordo prevê mudanças para policiais, a pedido de Bolsonaro

Durante à tarde, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), esteve reunido com uma série de líderes partidários em sua residência 

O presidente Bolsonaro em evento em São Paulo

O presidente Bolsonaro em evento em São Paulo

GUILHERME RODRIGUES/MYPHOTO PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Após ter sido chamado de traidor por alguns policiais em protesto na Câmara dos Deputados nesta semana, o presidente Jair Bolsonaro conseguiu alterações no texto da reforma da Previdência para beneficiar a categoria.

Leia também: Bolsonaro diz a policiais: 'fiquem tranquilos em relação à reforma'

De acordo com fontes ouvidas pela reportagem, Bolsonaro ligou para diversos líderes partidários na tarde desta quarta-feira (3) solicitando as mudanças. Segundo essas fontes, a pressão dos parlamentares teria levado o relator, Samuel Moreira (PSDB-SP), a ceder nesse ponto, colocando uma idade menor para que policiais se aposentem.

A expectativa é de que a Comissão Especial da Previdência abra sessão na noite desta quarta-feira. Além da votação de requerimentos, fontes afirmam que há acordo para a votação do novo relatório que será reapresentado por Moreira. Já os destaques ao texto principal seriam apreciados nesta quinta-feira (4).

Leia mais: Bolsonaro cancela ida a evento para acompanhar votação da reforma

Durante à tarde, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), esteve reunido com uma série de líderes partidários em sua residência oficial, em Brasília. Maia deixou há pouco a residência oficial a caminho da Câmara.

Segundo as fontes ouvidas, os líderes chegaram a um acordo, que prevê mudanças no caso dos policiais no relatório da Previdência. Pelo acordo, os policiais homens vão se aposentar aos 53 anos, enquanto as policiais mulheres irão se aposentar aos 52 anos.

A questão da aposentadoria dos policiais era um dos pontos que estavam dificultando um acordo para a votação da reforma da Previdência na comissão especial.