Reforma da Previdência
Brasil Acordo tira Estados e municípios da reforma, dizem líderes

Acordo tira Estados e municípios da reforma, dizem líderes

O relator da reforma da Previdência deve restringir o pagamento do benefício do abono salarial a quem ganha até 1,4 salário mínimo (R$ 1.397 20)

O líder do PP na Câmara, Arthur Lira

O líder do PP na Câmara, Arthur Lira

Reprodução

Líderes da Câmara disseram que um acordo foi fechado com o relator da reforma da Previdência, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), para retirar do texto Estados e municípios do seu relatório.

Segundo o líder do PP, Arthur Lira, os Estados e municípios podem voltar a ser incluídos na reforma no plenário, por emenda, mas ele não acredita que haverá votos para isso. "Se os governadores quiserem garantirem os votos, eles apresentam a emenda", disse o líder da Maioria, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB).

O acordo foi fechado em uma reunião nesta quarta-feira (12), na residência oficial de Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Há uma tendência de que a capitalização fique de fora. Além disso, o relator deve restringir o pagamento do benefício do abono salarial a quem ganha até 1,4 salário mínimo (R$ 1.397 20), o que reduziria o impacto da medida em cerca de R$ 80 bilhões.

O líder do MDB na Câmara, deputado Baleia Rossi (SP), disse que os parlamentares pediram para o relator que a economia com a reforma seja de ao menos R$ 900 bilhões.

Rossi disse ainda que acredita que a idade mínima para mulheres se aposentarem deve ficar em 62 anos, com um tempo mínimo de contribuição de 15 anos. Esse prazo seria uma demanda da bancada feminina que Moreira estaria disposto a atender.