Eleições 2018
Brasil Alckmin diz que Bolsonaro e Haddad são ‘dois lados da mesma moeda’

Alckmin diz que Bolsonaro e Haddad são ‘dois lados da mesma moeda’

No programa eleitoral desta quinta-feira (20), tucano se coloca como oposição aos dois candidatos mais bem colocados nas pesquisas

Alckmin critica Bolsonaro e Haddad em horário eleitoral

Alckmin critica Bolsonaro e Haddad em horário eleitoral

Reprodução/RecordTV

Conforme o combinado em uma reunião com o Centrão, o candidato à Presidência República do PSDB, Geraldo Alckmin, vai retomar em seu horário eleitoral as críticas a Jair Bolsonaro, candidato do PSL, que lidera as pesquisas de intenções de voto.

Na noite desta quinta-feira (20), o programa do tucano vai condenar a declaração do coordenador econômico de Bolsonaro, Paulo Guedes, que disse na terça-feira (18), que se o candidato do PSL vencer, será criado um imposto nos moldes da CPMF.

Adversários sobem o tom contra polarização Bolsonaro/Haddad

A propaganda diz que com “Com o economista do Bolsonaro, pobre vai pagar mais imposto”.

Além disso, os tucanos também vão atacar o PT (Partido dos Trabalhadores), quem tem o candidato Fernando Haddad em segundo lugar nas pesquisas.

O programa eleitoral mostra imagens e fotos da Venezuela. Em seguida, a apresentadora diz que “é muito triste ver o que um voto errado pode fazer por um país”.

A campanha ainda usa declarações de Lula e Bolsonaro para dizer que eles são “dois grandes fãs” de Hugo Chávez, ex-presidente venezuelano.

Por fim, Alckmin aparece dizendo que “o risco do Brasil se tornar uma Venezuela é real”. O tucano se coloca como oposição a Bolsonaro e Haddad e diz que os dois candidatos são “dois lados da mesma moeda: a do radicalismo”.

O objetivo do PSDB é angariar o voto útil com o argumento de que votar em Bolsonaro é colocar o PT no segundo turno.