Brasil Ameaçado de extradição, Battisti diz confiar nas instituições brasileiras

Ameaçado de extradição, Battisti diz confiar nas instituições brasileiras

O presidente eleito Jair Bolsonaro prometeu restituir o ex-guerrilheiro à Itália, cujo ministro do Interior quer vir pessoalmente buscá-lo

Cesare Battisti

Battisti segue no Brasil graças a uma liminar de Luiz Fux

Battisti segue no Brasil graças a uma liminar de Luiz Fux

Nelson Antoine/09.10.2017/Folhapress

O italiano Cesare Battisti afirmou que "confia" nas instituições brasileiras, em meio às promessas de extradição feitas pelo presidente eleito Jair Bolsonaro.

Antes, durante e depois da campanha eleitoral, o capitão reformado prometeu restituir o ex-guerrilheiro à Itália, cujo ministro do Interior, Matteo Salvini, quer vir pessoalmente ao Brasil para buscá-lo.

Ministro italiano renovará pedido de extradição de Battisti

"Reitero minha confiança nas instituições democráticas brasileiras, que desde que me encontro aqui garantiram o pleno funcionamento do Estado de direito. Estado de direito este que faltou em minha ex-pátria, a Itália", diz um comunicado de Battisti citado pela agência "EFE".

Assim como Bolsonaro, o governo de Michel Temer já decidiu extraditar o italiano, mas aguarda o STF (Supremo Tribunal Federal) julgar se é possível reverter o asilo concedido por Luiz Inácio Lula da Silva em 2010.

Cesare Battisti é denunciado por inserir dados falsos em documento

Atualmente, Battisti permanece no Brasil graças a uma liminar do ministro Luiz Fux, mas não há ainda uma previsão para o caso ser julgado em plenário.

Ex-membro da guerrilha PAC (Proletários Armados pelo Comunismo), Battisti foi condenado à prisão perpétua na Itália por quatro assassinatos e terrorismo. Ele diz ser alvo de perseguição política.